O grande dormitório suburbano da metrópole portuense
Gondomar
30 propostas da CDU
Para a CDU existe uma «alternativa» à política de «ocupação desenfreada» dos solos seguida nas últimas décadas pelos executivos camarários do PS e do PSD e que «o consulado de Valentim Loureiro tem acentuado».
«Política que fez de Gondomar o grande dormitório suburbano da metrópole portuense, com as consequências que são conhecidas: desemprego, exclusão social, insegurança, falta de qualidade de vida», acusa a coligação, que, nas próximas eleições para as autarquias locais, «quer protagonizar uma alternativa que passa, necessariamente, pelo aproveitamento das potencialidades turísticas associadas aos recursos naturais e paisagísticos que o município possui para estimular a criação do emprego e promover o desenvolvimento sustentável do concelho».
Nesse sentido, para a área do ambiente e do urbanismo, a CDU propõe a «recuperação e valorização da bacia do Douro», o «estabelecimento de parcerias de gestão com outros concelhos no sentido de revitalizar grandes áreas verdes», a «preservação das áreas agrícolas e das zonas de protecção ecológica», o «alargamento a todo o concelho da área coberta pelas redes de esgotos, tratamento de águas residuais e recolha de resíduos sólidos» e o «alargamento do Programa Polis à frente ribeirinha, entre Valbom e Melres». Pretende ainda a «valorização e infraestruturação das praias fluviais», mais incentivos «à recuperação do parque construído» e «ao complemento da função habitacional com serviços, comércio e equipamentos», a «actualização do cadastro do parque construído no sentido de monitorizar e regular a construção», o «combate à construção ilegal e clandestina», o «estudo urbanístico da frente ribeirinha do Rio Douro» e a «revisão do PDM e elaboração dos planos de urbanização e dos planos de pormenor em falta».
Relativamente ao turismo e lazer, a CDU promete a «criação de uma rede turística articulada com a região do Porto», o «estabelecimento de parcerias com outros concelhos para a criação do percurso turístico “Rota do Ouro”», a «valorização e recuperação de conjuntos e núcleos construídos», o «fomento à implantação de parques de campismo e equipamentos hoteleiros de pequena dimensão», a «criação de uma rede concelhia de parques de merendas», a criação de «percursos pedestres e ciclovias e instalação de pistas de pesca desportiva, remo e canoagem», de «museus da pesca tradicional, da água e das actividades tradicionais do concelho» e da «Casa do Artesão» e a «defesa e valorização do património gastronómico concelhio».
Para a indústria, comércio e serviços, os candidatos e activistas da coligação defendem o «apoio à dinamização do pequeno comércio e das indústrias tradicionais», «criação de zonas pedonais nos centros urbanos de grande concentração comercial», «apoios à fixação de pequenas e médias empresas em parques industriais», «criação do parque tecnológico de ourivesaria», «desenvolvimento do sector primário», «promoção do intercâmbio entre as escolas que ministram cursos de ensino profissional e técnico e as empresas» e «criação de pólo do ensino politécnico dirigido para as actividades tradicionais».
Por último, na área da mobilidade, a CDU aposta no «incentivo ao uso do transporte público e à criação de redes internas que fomentem a redução do uso de viaturas particulares», no «alargamento da rede da STCP no concelho», na «defesa da criação de uma linha circular de metro que ligue a sede do concelho ao Porto» e «criação de parques de estacionamento tipo “inter-face” em locais-chave da rede de deslocações internas e externas do concelho».


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: