A Festa do Avante! já está a ser construída
<font color=0094E0>Quando o sonho é uma cidade</font>
A Festa do Avante! já está a ser construída. Tubo após tubo, placa após placa, lá se vai erguendo a cidade de três dias, concretização efémera do ideal por que lutam, no dia-a-dia, nas empresas e nas ruas do País, os comunistas portugueses. As jornadas de trabalho, que começaram há quinze dias, prosseguem este fim-de-semana e em todos os outros até Setembro.
Ao mesmo tempo, as organizações do Partido preparam a sua presença na Festa, preparando exposições políticas, fazendo projectos de decoração dos seus espaços, preenchendo as escalas para os serviços nas bancas, bares e restaurantes, distribuindo folhetos de apelo à participação, vendendo EP's. Um labor quotidiano e voluntário que é, também ele, construir a Festa.
É hábito dizer-se que a Festa é uma iniciativa única, que «não há Festa como esta». E para isso muito contribui o espírito de camaradagem e fraternidade que ali se vive. Não só nos três dias, mas nos meses que a antecedem, durante a sua construção, planificação e divulgação. Todas as tarefas (montando estruturas ou vendendo EP's, servindo refeições ou varrendo o terreno) são desempenhadas com dedicação, com entrega e, porque não dizê-lo, com amor – à Festa, ao Partido e aos seus ideais, que são os mais belos que a Humanidade produziu.
Ainda faltam dois meses para as portas da Atalaia se abrirem ao povo – que ali pertence, que faz sua esta Festa, e sem o qual ela não teria sentido – mas a Festa já começou. Poucos dias depois das eleições para o Parlamento Europeu começaram a ser colocados os cartazes de promoção da Festa do Avante!.
Muito antes, já a JCP vinha promovendo festivais de música para revelar jovens bandas e talentos, alguns dos quais receberão como prémio a possibilidade de pisar um palco na Quinta da Atalaia. Também os artistas plásticos estão a ser envolvidos na preparação da Festa, através da Bienal, que este ano volta a marcar presença.

Sexta-feira, 4 de Setembro
Grande gala de Ópera

O programa musical da Festa do Avante! está longe de ser o único ou até mesmo o principal motivo de interesse para os visitantes. Mas não deixa de ser esperado com grande expectativa por muitos milhares de pessoas.
Ao contrário do que normalmente sucede, em que o programa é divulgado na sua totalidade num mesmo momento, este ano é já conhecido o teor do espectáculo da noite de sexta-feira – a Granda Gala de Ópera, que esteve agendado para a primeira noite da Festa do ano passado e que um temporal inviabilizou. Pelo palco 25 de Abril, o maior da Festa do Avante!, passarão os acordes e as vozes de grandes óperas de Verdi, Bizet, Mozart, Rossini, Puccini e Gershwin.

Finalíssima Norte apurou três bandas para a Festa
Revelar talentos

Há já três bandas confirmadas para tocar no Palco Novos Valores da Festa do Avante!. São elas Apply Zii, de Aveiro, Estroina, de Braga, e Vespa, do Porto, que superaram no passado sábado mais uma eliminatória – a última – no seu caminho para a Quinta da Atalaia: a Finalíssima Norte, realizada no Parque dos Mártires do Colonialismo, na Marinha Grande.
Perante 300 pessoas, seis bandas (as três apuradas e mais os Voodoo Jimbo, de Coimbra, os All Things Shining, de Leiria, e os Revolution Within, do Porto) tiveram a oportunidade de mostrar a sua música perante um público aberto a novos sons. Entre as actuações, subiu ao palco Rita Rato, da direcção da JCP, para falar sobre as dificuldades de acesso dos jovens à fruição e produção de cultura, não deixando de referir o património de propostas que a Juventude CDU tem sobre esta matéria. À hora do jantar, com os elementos das bandas reunidos, outra dirigente da JCP, Ana Pato, fez nova intervenção política.
Esta finalíssima culminou um vasto conjunto de festivais de bandas nas várias regiões do Norte do País, que envolveu milhares de pessoas, entre músicos e público. Na memória fica o festival realizado em Aveiro, que contou com cerca de duas mil pessoas a assistir.
Nos restantes distritos do País prosseguem as eliminatórias. A Finalíssima Sul está marcada para o dia 11 de Julho, no jardim da Estação, em Montemor-o-Novo.

Compra já a tua EP!

A Entrada Permanente (EP) para a Festa do Avante! não é um mero «bilhete», tal como a Festa não é um qualquer festival. A EP é um título de solidariedade para com esta realização única e quanto mais cedo for adquirida mais contribuirá para fazer desta a melhor de todas as festas.
A EP custa 28 euros, mas se for adquirida até ao dia 3 de Setembro o preço é 19 euros, o que permite ao visitante poupar 9 euros.

Trabalho e convívio

Domingo foi dia de trabalho na Quinta da Atalaia. Apesar da chuva que teimava em cair, os construtores faziam as funções que lhes tinham sido atribuídas. Mas, na Festa do Avante!, há sempre o convívio e os construtores do Pavilhão dos Imigrantes e outros amigos realizaram, nesse dia, uma sardinhada que reuniu mais de 40 pessoas.
Ao som da música e tendo por companhia permanente a alegria e a camaradagem, festejou-se o resultado da CDU nas eleições para o Parlamento Europeu, valorizando-se a rica experiência colectiva da campanha dirigida aos imigrantes, na qual desempenhou um papel fundamental a candidata Felismina Mendes.
Na ocasião, apontou-se os grandes desafios que a luta de massas e as próximas eleições colocam ao Partido e à CDU e salientou-se a importância de realizar uma grandiosa Festa do Avante!, que aumente ainda mais a confiança dos militantes do Partido e apoiantes da CDU, e, em geral dos trabalhadores e do povo, na possibilidade de romper com a política de direita e empreender a construção de uma alternativa de esquerda.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo