Breves
Novo escândalo no Reino Unido
Como se não bastasse a revelação das despesas abusivas dos deputados britânicos, que provocou um terramoto político levando à demissão de vários ministros trabalhistas, o semanário The Sunday Telegraph< revelou, dia 28, uma nova história sobre rendimentos ilícitos dos deputados que promete novas réplicas. Segundo o jornal, eleitos dos três principais partidos auferem milhares de libras em «biscates» à margem do seu trabalho parlamentar. Para já, de todos os escrutinados, destaca-se o antigo ministro da Habitação que no ano passado, quando se encontrava em funções naquele Ministério, auferiu 148 mil libras (174 mil euros) por «serviços» prestados no sector privado relacionados precisamente com o negócio da habitação.
Mas outros não lhe ficam atrás. Por exemplo, o ex-secretário de Estado da Saúde, Alan Milburn, ganhou 115 mil libras (134,5 mil euros) em cinco trabalhos prestados no exterior, designadamente ao grupo farmacêutico Lloyds Pharmacy e à Pepsi.

França vende 15% da <i>Areva</i>
O estado francês prepara-se para alienar 15 por cento do grupo nuclear Areva a parceiros da Ásia, Médio Oriente e de outras regiões. Segundo apurou o jornal britânico Financial Times (26.06), o governo de Sarkozy pretende encaixar dois mil milhões de euros para financiar o desenvolvimento do grupo.
Em curso parece estar igualmente a venda da filial de transporte e distribuição de electricidade T&D. O jornal afirma que o grupo Areva necessita de um investimento global de oito a dez mil milhões de euros até 2012.

Sarkozy dá autonomia à Martinica
O presidente francês, em visita às Antilhas, propôs, dia 26, a realização de um referendo sobre a autonomia da Martinica, mas fez questão de sublinhar que «o debate de que falamos não é o da independência», mas o «do justo nível de autonomia». «A Martinica é francesa e continuará a sê-lo», disse Nicolas Sarkozy.