Festa do Avante!
<font color=0094E0>Espectáculos</font>
Vozes no Feminino

Aldina Duarte

Possuidora de uma voz única, a fadista conta no seu terceiro álbum uma história feminina em 11 temas, donde emergem os segredos e a coragem, as subtilezas e as dúvidas, as transgressões ponderadas e a ousadia, os impulsos e as emoções, a confiança e a frontalidade, a liberdade como valor supremo individual e colectivo. Um trabalho unanimemente considerado uma as grandes revelações do último ano.
http://aldinaduarte.blogspot.com
http://www.youtube.com/watch?v=bq1kWtFqIV0

Tereza Salgueiro

De 1986 a 2007, Tereza Salgueiro foi a voz e o rosto dos Madredeus, a mais internacional banda portuguesa. Doze álbuns, cerca de 5 milhões de discos vendidos e mais de 900 concertos nos mais prestigiados palcos do mundo. As colaborações com outros grandes vultos da música nacional e internacional deram a Tereza Salgueiro uma experiência ímpar. Em 2006, lança-se pela primeira vez a solo, e em 2007, já sem os Madredeus, dinamiza dois projectos nos quais explora outras sonoridades.
http://www.teresasalgueiro
http://www.myspace.com/terezasalgueiro

Maria João e Mário Laginha

Maria João e Mário Laginha estão de volta, com o seu mais recente disco Chocolate. Um álbum especial, pois assinada a longa e forte relação de 25 anos entre os dois músicos, recuperando a mesma formação instrumental do primeiro trabalho, embora com diferentes intérpretes. Tal como o disco de 1983, o primeiro gravado em conjunto, Chocolate apresenta novas canções, entre originais e adaptações. «O que nos une é o amor puro, pela música e um pelo outro, por isso escolhemos o nome Chocolate», explicou Maria João aquando do lançamento.
http://www.mariajoao.org/
http://www.myspace.com/mariajoaograncha
http://mariolaginha.oninet.pt/
http://www.myspace.com/mariolaginha

Blues & Jazz

Guy Davis

Consagrado intérprete de blues, o norte-americano Guy Davis é também compositor, actor e escritor. Mas é, sobretudo, um contador de histórias. Nas suas canções, pode contar histórias dos seus bisavós ou dos seus avós, e dos seus dias de ferroviários, e da sua luta de gerações contra o racismo e o segregacionismo, a Ku Klux Klan. Com a mesma sensibilidade com que conta a história de crianças criadas nos subúrbios de Nova Iorque. A sua presença em palco é elogiada por todos e faz parte do núcleo de artistas habitualmente presentes em todas as lutas e expressões de solidariedade, como o demonstrou a sua presença no histórico e recente concerto de homenagem ao 90.º aniversário de Pete Seeger.
http://www.guydavis.com/

Hazmat Modine

Considerada uma das mais originais bandas da cena musical nova-iorquina, a Hazmat Modine é uma original fusão de estilos tão diversos como o blues, o reggae, o klezmer, country e música cigana. Esta diversidade fica também patente nos instrumentos utilizados, originários da China antiga ou da Roménia. Ao vivo, os músicos tocam fundamentalmente originais. Nos seus concertos, convidam regulamente músicos consagrados de Nova Iorque.
http://www.hazmatmodine.com/
http://www.myspace.com/hazmatmodine

João Lencastre’s Communion

O baterista João Lencastre reuniu no seu grupo Communions um naipe de talentos do jazz nacional e internacional. O mais recente trabalho, de 2007, João Lencastre's Communion B-Sides contou com a participação de David Binney, Phil Grenadier, Thomas Morgan, Leo Genovese e Jeremy Hudden. A crítica considerou-o um dos melhores discos do ano daquele género, na sequência do primeiro trabalho do grupo One!.
http://www.myspace.com/joaolencastre

Laurent Filipe

Laurent Filipe apresenta Flick Musicas grandes músicas do cinema, um espectáculo que parte de algumas das músicas de filmes «de sempre» que mais marcaram o autor – Chinatown, Il Postino, Driving Miss Daisy, Cinema Paradiso, Mission Impossible, etc. Flick Music é, pois, música de cinema, interpretada à maneira deste quarteto, composto por Laurent Filipe, no trompete e no flugelhorn; André Fernandes, na guitarra; Massimo Cavalli, no contrabaixo e Pedro Viana, na bateria.
http://www.laurentfilipe.com/
http://www.myspace.com/laurentphilipetrumpet
http://www.myspace.com/laurentphilipetrumpet

Nelson Cascais

Guruka é o espectáculo que Nelson Cascais apresenta na Festa do Avante! 2009. Baseado no seu mais recente trabalho, o contrabaixista – que foi considerado em 2002 músico de jazz do ano pelo site http://www.jazzportugal.net – mostrará por que razão actuou já com alguns dos mais consagrados nomes do jazz, nacional e internacional. Guruka, lançado este ano, é o seu terceiro trabalho a solo, depois de Nine Stories e Ciclope e da sua participação em trabalhos de outros artistas.
http://www.nelsoncascais.net/
http://www.myspace.com/nelsoncascais

The PostCard Brass Band

The Postcard Brass Band é um quarteto nascido no ano passado da materialização de um antigo desejo comum aos seus membros fundadores: o da criação de um grupo ecléctico nas suas abordagens ao jazz, que se deixasse levar pela mão das influências de world music de face tanto africana como asiática ou americana, provenientes da nova ou da velha escola. Com este objectivo juntaram-se Mário Marques, Ruben Santos, Sérgio Carolino e Michael Lauren. O primeiro disco, editado recentemente, recebeu o nome da banda.
www.myspace.com/thepostcardbrassband

The Soaked Lamb

The Soaked Lamb é uma banda de roots, com predominância para os blues dos anos trinta e quarenta, e influências do jazz dessa mesma época. É uma banda de seis elementos (Mariana Lima, Miguel Lima, Gito, Tiago Albuquerque, Vasco Condessa e Afonso Cruz), cujo disco de estreia foi gravado em casa, aos domingos.
href=http://soakedlamb.awardspace.com/
href=http://www.myspace.com/thesoakedlamb

Folk, rock, pop...

Blind Zero

Os Blind Zero contam já com 15 anos de carreira e são um dos nomes sólidos do rock que por cá se faz, sendo o primeiro grupo português a obter o prémio do MTV Music Awards para a melhor banda nacional. Estava-se em 2003, mas os Blind Zero não pararam e continuaram a surpreender, com os seus discos e vibrantes actuações ao vivo. Em Setembro, será lançado Luna Park, o novo álbum de originais, de que já é conhecido o primeiro single, Slow Time Love.
http://blindzero.esoterica.pt/
href=http://www.myspace.com/blindzeromusic

Clã

Quando se formaram, na primeira metade dos anos 90, os Clã estariam longe de adivinhar o sucesso que os esperava. O seu primeiro trabalho LusoQualquerCoisa, de 1996, foi bem recebido pela crítica mas teve ainda limitada projecção comercial. Foi, sobretudo, com Kazoo, Lustro, Rosa Carne e Cintura que a sua carreira se solidificou e não parou de crescer, ficando ainda marcada pela colaboração com Sérgio Godinho em Afinidades. A energia que colocam em palco nos espectáculos garantiu-lhes o apoio de um público fiel.
http://www.myspace.com/clamusic
http://cla.no.sapo.pt/menu.htm

David Fonseca

O convite para a participação na Festa do Avante! coincide David Fonseca com um dos momentos mais altos da sua carreira a solo, na sequência do enorme sucesso alcançado pelo último álbum Dreams in Colour. Se com Sing Me Something New, de 2003, cortou o cordão umbilical que o ligava à sua antiga banda Silence 4, já com Our Hearts Will Beat as One, apontou em direcções artísticas inovadoras e dinâmicas que tiveram o seu corolário no mais recente disco. Na sua actuação surgirão já canções do seu próximo disco de originais.
http://www.davidfonseca.com
http://www.myspace.com/davidfonseca

Gazua

Formados em 2005, os Gazua são uma banda de rock lisboeta, formada por três músicos com uma já larga experiência musical. O seu primeiro disco, Convocação, data de 2007 e já este ano saiu o segundo trabalho, Música Pirata. Este álbum – edição de autor com distribuição nacional – tem um pendente mais inconformista, explorando os caminhos que cada um pode seguir, à margem da grande indústria consumista que atropela os pequenos criadores. Os seus 12 temas passam mensagens de união e luta pelas coisas em que acreditamos.
http://www.myspace.com/gazua

Peste & Sida

Banda fundamental do panorama musical português, os Peste & Sida estão a comemorar os 20 anos do lançamento do seu Veneno, o seu primeiro álbum de originais. O segundo disco, Portem-se Bem!, confirmaria o bom momento da banda, que seguiria nos anos seguintes, com mais discos – Peste & Sida é que é e Eles andam aí – e concertos apoteóticos. Com os anos, foram sofrendo alterações na formação, mas houve sempre quem levasse a banda para a frente. Regressaram em 2004, com Tóxico e em 2007, saiu Cai no Real.
http://www.myspace.com/pestesida

Willie Nile

Quando Willie Nile lançou o seu primeiro álbum, homónimo, em 1980, a imprensa comparou-o a Bob Dylan ou Bruce Springsteen. Mais de uma quarto de século passou o compositor e cantor nova-iorquino confirmou, superando, tudo o que dele se disse, assumindo-se como um dos mais dotados compositores e letristas que Nova Iorque viu nascer nos últimos anos, um expoente incontornável da corrente folk rock que tem criado muita da melhor música norete-americana. O seu último álbum House of a Thounsand Guitars recebeu críticas muito favoráveis.
http://www.myspace.com/willienile

Fados

Carla Pires

Com uma carreira iniciada no programa televisivo Chuva de Estrelas, Carla Pires concluiu dois anos depois, em 1995, a sua formação na Escola Profissional de Artes e Ofícios do Espectáculo. Daí para cá nunca mais parou de participar em espectáculo no País e por todo o mundo, e em musicais. No seu primeiro trabalho a solo, Ilha do Meu Fado, participam alguns dos melhores músicos de fado da actualidade. Na Festa do Avante!, onde já actuou anteriormente, optou este ano pela grata mas exigente tarefa de interpretar apenas José Carlos Ary dos Santos.
http://www.myspace.com/carlapires

Vanessa Alves

Nascida em 1985, Vanessa Alves começou a cantar aos 7 anos, vencendo um festival da canção organizado pela paróquia do seu bairro. Aos 14, dá os primeiros passos no Fado, integrando o elenco de várias casas de fado de Lisboa. Participante em vários concursos, deu concertos em Moscovo e Pequim e cantou ao lado de vários nomes consagrados do fado.
http://www.nowtorrents.com/torrents/vanessa-alves-fado.html

Ska

Ska P

Assumidamente antifascistas e filhos do bairro operário madrileno de Vallecas, os Ska P são umas das maiores referências da música de intervenção ska, em língua espanhola, fortemente comprometido, com a luta dos povos contra o capitalismo, o imperialismo, a guerra e o terrorismo de Estado. Este seu compromissos, levou-os à Venezuela, o ano passado, onde o tema Adelante Comandante foi utilizada na campanha das eleições que reelegeram Hugo Chávez presidente daquele país.
http://ska-p.com/index.php

Skalibans

Energia e boa disposição estão garantidas no espectáculo que a banda almadense traz à Festa, até porque os concertos e a interacção com o público são o que mais motiva os Skalibans. Formados em 2004, contam já com um álbum gravado, Is it Voodoo?, editado em 2008, dias depois de terem realizado um memorável concerto no palco 1.º de Maio da Festa do Avante!. Temas como Sunshine e Late Night Phonecall são presenças habituais nas rádios e séries de TV.
http://www.myspace.com/skalibans

World

Ciganos d’Ouro

Nascidos em 1994, os Ciganos d'Ouro têm já seis álbuns no seu reportório (o último, Guadiana, foi lançado recentemente) e representaram por muitas vezes Portugal e a sua comunidade cigana em eventos internacionais, tendo sido sempre muito bem recebidos pelo público e pela crítica. Partindo do flamenco e do cante hondo, os Ciganos d'Ouro têm vindo a diversificar a sua sonoridade, fruto da sua colaboração com músicos de outras origens, nomeadamente da América Latina.
http://www.myspace.com/ciganosdouro

Maria Alice

O calor das noites quentes de Cabo Verde estará presente na Festa do Avante! pela voz de Maria Alice, uma das grandes intérpretes cabo-verdianas. O espectáculo andará em torno do seu último trabalho, Tocantina, mas incluirá também reportório dos seus três discos anteriores. Depois de Ilha d’Sal, D'Zemcontre e de Lágrima e Súplica, a voz quente característica de Maria Alice traz-nos um novo disco inteiramente dedicado às mornas de Cabo Verde.
http://blogdimariaalice.blogspot.com/
http://www.myspace.com/mariaalice08

Roda de Choro de Lisboa

A Roda de Choro de Lisboa é um quinteto luso-brasileiro que se caracteriza por interpretar temas clássicos do chorinho brasileiro, em fusão com o tango, a polka, e os ritmos populares portugueses, como o fado, o fandango e o corridinho algarvio. Juntos desde 2005, têm vindo a conquistar um lugar de destaque na cena cultural. Os seus concertos transmitem uma alegria contagiante e conquistam rapidamente a simpatia do público.
http://www.myspace.com/rodadechorodelisboa

Tabanka Djaz

Os Tabanka Djaz, oriundos da Guiné-Bissau, são talvez a banda mais influente da África lusófona, contando já com mais de duas décadas de existência. Ao longo dos anos foram construindo a sua sonoridade, conquistando o seu lugar de honra entre os melhores intérpretes da música africana. Deram espectáculos em todo o mundo, juntamente com a «fina-flor» da música do seu continente. Actualmente estão em estúdio, a gravar o seu próximo álbum, a ser lançado ainda este ano.
http://apps.facebook.com/ilike/artist/Tabanka+Djazz

Raízes

Bandarra
Formado nos Açores, em 2007, Bandarra é um grupo constituído por seis elementos provenientes de vários países e esta diversidade não deixa de se reflectir no seu som – onde se pode distinguir a música tradicional portuguesa, o fado, o folk, o ska, o reggae, o rock, os blues ou o gipsy. A busca de uma sonoridade própria, assumidamente «vadia» e sem amarras, é o mote desta banda de músicos do mundo, que escolheram os Açores para as suas descobertas e experiências musicais.
http://www.bandarra.info/

Francisco Naia

De Sol a Sul é o novo álbum de Francisco Naia, um cantor com origem no Sul de Portugal, na região do Alentejo. Voz ligada à luta pelas liberdades e transformações sociais antes e depois do 25 de Abril, Francisco Naia apresenta, neste trabalho, temas construídos apenas por instrumentos acústicos, percussões portuguesas e árabes, a guitarra tipicamente alentejana, chamada de viola campaniça, e uma potente voz de tenor, uma das mais belas da música portuguesa.
http://www.francisconaia.com/biografia.htm
http://www.myspace.com/francisconaia

Frei Fado d’ El Rei

Os Frei Fado d'El Rei são um grupo cujas composições buscam inspiração nos temas da época medieval mas com adaptações aos tempos actuais. O fado, a música popular e o flamenco são os mais recentes estilos que influenciam a sua música. É esta abordagem tão peculiar que constitui o seu grande desafio e lhes dá uma identidade tão característica. Em 2007, editaram Senhor Poeta: um tributo a José Afonso, com 14 canções do criador de Grândola, Vila Morena e que lhes valeu o prémio instituído pelo município da Amadora com o nome do autor do sinal do 25 de Abril.
http://www.caleida.pt/ffdr/
http://www.myspace.com/freifadodelrei

Luísa Amaro

Em Meditherranios, Luísa Amaro desenvolve uma teoria musical muito própria para a guitarra portuguesa, aliando-a ao guitolão – uma guitarra barítono de que apenas existem dois exemplares no mundo, concebida por Carlos Paredes e desenvolvida por Gilberto Grácio. A guitarrista evoca desta forma a complexa miscigenação cultural que Portugal experimentou ao longo da sua história. O guitolão remete para o alaúde árabe, o clarinete leva-nos aos Balcãs e à Turquia, transportando a percussão ao Oriente Médio. A guitarra, essa, é bem portuguesa.
http://www.myspace.com/luisaamaro

Samuel

Samuel Quedas enveredou pela carreira musical pela mão do próprio José Afonso, que conheceu em Setúbal. Após este encontro marcante, começou a escrever canções, que dariam origem, em 1972, ao seu primeiro disco O Cantigueiro. Nos anos da Revolução, foi activo e coerente, tendo-se mantido firme junto dos que lutam por um mundo mais justo quando os ventos começaram a soprar para outro lado.
http://samuel-cantigueiro.blogspot.com/2007/09/adriano-sempre.html
http://samuelquedas.net/

Vitorino com os Cantadores do Redondo

O virtuoso e multifacetado cantor alentejano apresenta-se este ano na Festa do Avante! com o Grupo de Cantadores do Redondo, terra natal de Vitorino e onde vai buscar inspiração. Viajante, homem das artes política e socialmente comprometido, Vitorino tem uma carreira recheada de êxitos, quer nos trabalhos a solo quer nos projectos colectivos que integra. Sempre com a frontalidade que o caracteriza e o faz estar na música com emoção e sentimento.
http://vitorinosalome.com/
.
El Che

Voces del Sur

Valentina Montoya Martinez é a líder dos Voces del Sur. Filha de um ex-preso político e, posteriormente, exilado chileno, Valentina fixou-se em Edimburgo, em 1996, iniciando desde então o percurso musical com os demais membros da banda. As influências de Voces del Sur vão o folclore escocês à música latino-americana, com raízes no cancioneiro de luta da América Latina, para onde «voam» nos espectáculos dando voz aos povos de «su continente».
http://www.myspace.com/vocesdelsur
http://www.vocesdelsur.co.uk/

Céltica

Seth Lakeman

A carreira musical do irlandês Seth Lakeman começou em família, com a banda The Lakeman Brothers e, mais tarde, juntamente com Kathryn Roberts e Kate Rusby, formaram os Equation, que cedo ganharam projecção. Depois de três álbuns e digressões pela Grã-Bretanha, Europa e Estados Unidos, Seth Lakeman seguiu a solo e editou, em 2002, o seu primeiro disco The Punch Bowl. À Festa traz o seu mais recente trabalho, Poor Man’s Heaven.
http://www.sethlakeman.co.uk/
http://www.myspace.com/sethlakeman

The Men They Couldn't Hang

Com uma já longa carreira, iniciada na primeira metade dos anos oitenta do século passado, os The Men They Couldn’t Hang - especialmente empenhados políticamente - são uma das mais importantes e consagradas bandas da cena céltica irlandesa, actuando em diversos festivais de música alternativa em Inglaterra e um pouco por toda a Europa, e tendo atingido apreciável notoriedade. A sua nova formação e a entrada de novos elementos – iniciada em 1996 – introduziu novas sonoridades que receberam generalizado apoio de um público fiel entreetanto renovado.
http://www.tmtch.net/

Vanguarda

Telectu e convidados

Jorge Lima Barreto e Vítor Rua formaram, em 1982, o projecto Telectu e desde então nunca mais pararam de experimentar novos sons no campo do jazz. Presença assídua na Festa do Avante!, convidam este ano três músicos de inegável prestígio: Jonas Runa (computador) Eddie Prevost (bateria & electronics); Jamie Coleman (trompete & electronics).
http://www.myspace.com/telectu
http://www.myspace.com/vrua
http://www.myspace.com/jamieimprov


Artes de palco

Teatro, dança, música e cinema documental estarão em destaque no Avanteatro em 2009, um espaço sempre renovado e que atrai, a cada ano que passa, novos visitantes. A exemplo do que tem vindo a ser habitual, marcarão presença companhias e artistas de várias regiões do País. Haverá também o habitual teatro infantil, que cativa o pequeno público.
No Avanteatro, serão evocados Vasco Granja, impulsionador e divulgador do cinema de animação em Portugal, e Celeste Amorim, solista do Coro Lopes-Graça, falecidos recentemente. Para além de artistas de grande qualidade, eram ambos destacados lutadores antifascistas e militantes do PCP.


Desporto

Dezenas de modalidades,
milhares de praticantes


Dezenas de modalidades preenchem o programa desportivo da Festa do Avante! e, também neste aspecto, esta é uma iniciativa única no País, ao nascer da coordenação entre o PCP e o movimento associativo e desportivo. Presentes estarão, entre outras, a ginástica, a dança, o minibásquete, o futsal, a esgrima, a patinagem, o judo, o aikido, o karaté e outras artes marciais e desportos de combate, os desportos radicais (como a escalada, o slide ou o paraquedismo), o bócia, a malha (grande, pequena e corrida), o xadrez, as damas, os jogos tradicionais, o cicloturismo ou a pesca desportiva.
A corrida da Festa, que vai já na sua 22.ª edição e que a cada ano que passa atrai mais e mais atletas, está marcada para o dia 6.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: