Agricultores do Baixo Mondego protestam

Os agricultores do Baixo Mondego e da Gândara desfilaram, na segunda-feira, pelas ruas de Coimbra, pernoitando junto à Direcção Regional de Agricultura do Centro, em protesto contra situação no sector. Na manhã seguinte, rumaram ao Governo Civil da cidade.
Na acção, promovida pela Associação Distrital de Agricultores do Centro, filiada na Confederação Nacional da Agricultura (CNA), participaram mais de 170 trabalhadores com máquinas agrícolas.
Os agricultores exigem medidas que travem a redução dos preços ao produtor e facilitem o escoamento da produção no sector leiteiro, arroz, batata e milho. Segundo declarou à agência Lusa, Isménio Oliveira, representante da CNA, «a situação é gravíssima, todas as semanas há gente a abandonar a produção de leite, os preços estão a descer quase mensalmente e o Governo e o Ministério da Agricultura não intervêm, não fazem absolutamente nada e assobiam para o lado, dizendo que é o mercado. Mas para apoiar os grandes banqueiros em dificuldades já não é mercado».
O Governo foi o principal visado do protesto, nomeadamente o ministro da Agricultura, Jaime Silva, caricaturado de Pinóquio nas camisolas dos manifestantes e apelidado de «mentiroso».


Almada homenageia Joaquim Benite

A Câmara Municipal de Almada entrega amanhã, sexta-feira, 31, no Teatro Municipal, a Medalha de Ouro da Cidade ao encenador Joaquim Benite.
A atribuição da mais alta condecoração do município foi anunciada pela presidente da edilidade, Maria Emília de Sousa, no dia de encerramento da 26.ª Edição do Festival de Almada, que decorreu entre 4 e 18 deste mês.
Na ocasião, Maria Emília de Sousa justificou esta distinção pelo repetido empenho com que o director da Companhia de Teatro de Almada e do Festival de Almada tem vindo a assegurar, há mais de 30 anos, o desenvolvimento, consolidação e divulgação – nacional e internacional – de um pólo artístico em Almada, marcado pela crescente qualidade das suas propostas e actividades.
Este ano, o Festival ofereceu 27 espectáculos, dos quais nove estreias, de grupos nacionais e vindo da Alemanha, Angola, Argentina, Bélgica, Chile, Espanha, França, Itália e Rússia.
Apesar de ser considerado um dos três festivais internacionais de teatro mais importantes da Europa, a par do de Avignon, em França, e do de Edimburgo, na Escócia, a presente edição ficou marcada pela drástica redução do subsídio do Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, bem reveladora do desprezo que as entidades centrais têm votado esta iniciativa.
Desde 2006 que a Região de Turismo de Setúbal concedia uma verba de 32 500 euros à organização do certame. Todavia, esta estrutura foi recentemente extinta pelo Governo e integrada na nova entidade, designada Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, cuja direcção informou, por carta, a três dias do final do Festival, que tinha decido apoiar o evento com «uma participação financeira de cinco mil euros», ou seja, uma redução de 85 por cento. Assim, sem nenhuma justificação.


China ultrapassa Alemanha

Um relatório da Organização Mundial do Comércio prevê que ainda este ano a Alemanha perca o lugar de primeiro exportador mundial para a China, país que tem vindo a ganhar terreno no comércio internacional, consagrando-se em 2008 como o segundo maior exportador, com um valor de 1,004 mil milhões de euros, logo atrás do concorrente germânico que manteve a liderança com 1,032 mil milhões de euros.
O relatório, divulgado dia 22, atribui à crise económica mundial o mau desempenho dos exportadores alemães. O PIB alemão deverá contrair-se 5,4 por cento este ano, enquanto a China espera um crescimento de oito por cento. Para 2009, a OMC prevê uma queda de dez por cento nas trocas internacionais, o pior resultado desde a II Guerra Mundial.


Nova derrota do Labour

As eleições parciais realizadas, sexta-feira, 24, na circunscrição de Norwich Norte,Inglaterra, saldaram-se por nova vitória dos conservadores, que obtiveram mais do dobro dos votos dos trabalhistas, 39,5 por cento contra 18,6 por cento.
Em disputa estava um único lugar vago na Câmara dos Comuns, mas o resultado é visto como um prelúdio das eleições gerais do próximo ano, já que os trabalhistas eram a força maioritária neste círculo.
As eleições foram convocadas devido à demissão do deputado trabalhista Ian Gibson, apanhado no escândalo das despesas abusivas. Gibson fez-se reembolsar de 80 mil libras relativas a gastos com a sua segunda habitação, um apartamento em Londres, que depois vendeu à sua filha por um valor inferior.


Resumo da Semana