Área ardida cresce

O número de hectares de mato e floresta devastados pelos incêndios desde Janeiro deste ano, 24 mil, é superior em 15 mil hectares à área ardida no mesmo período do ano passado. As contas são do Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS).
Até meio de Agosto, revelou o responsável do CNOS, foram registadas mais de 12 mil ocorrências, das quais já resultou a destruição de mais sete mil hectares de área verde que durante todo o ano de 2 008.
Gil Martins, em declarações divulgadas pela Lusa, desvalorizou os dados e apesar de admitir que «obviamente que a área ardida deste ano é superior à do ano passado», lembrou que os números actuais são inferiores à média dos últimos cinco anos, atribuindo o crescimento a uma situação de excepção.
Para Martins, na base do aumento da área ardida estão os «comportamentos de risco» das populações, os quais, diz, pioraram face ao ano passado.


Bronze na canoagem

Portugal voltou a conquistar uma medalha no Campeonato do Mundo de Canoagem, duas décadas depois de José Garcia ter alcançado o 3.º lugar na mesma competição, então realizada na Bulgária.
O bronze obtido no Canadá pelas canoístas Helena Rodrigues, Teresa Portela, Joana Sousa e Beatriz Gomes, que competiram na classe K4 200 metros, culmina uma série de bons resultados dos atletas portugueses na modalidade. Só durante o ano de 2009, Portugal já soma uma dezena de medalhas em várias competições internacionais naquela disciplina.
«É o reconhecimento do nosso valor e trabalho ao longo destes últimos anos e um tónico para continuarmos», disse Joana Sousa citada pela Lusa, palavras sublinhadas pelo seleccionador nacional, Ryszard Hope, que considerou o feito «prova do valor, determinação e dedicação de quatro mulheres exemplares enquanto atletas».


Utentes exigem médicos

Em ofício enviado aos agrupamentos de saúde do Zêzere e de Serra d'Aire, divulgado à comunicação social, a Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo (CUSMT) exige que o Ministério da Saúde esclareça se vai destacar mais médicos para a região. O pedido de explicações surge na sequência de notícias, não desmentidas por parte da tutela, que indicam a possibilidade de contratação de 40 médicos cubanos.
O porta-voz da CUSMT, Manuel Soares, disse à Lusa que a Comissão já manifestou por diversas vezes a sua concordância com a abertura de concursos internacionais para a resolução do problema mas, destacou, pretende saber quantos clínicos serão destacados para a região, quando e onde serão colocados.
È que só no distrito de Santarém, lembra Manuel Soares, são necessários 50 profissionais para os utentes que actualmente não têm médico de família, deixando ainda a dúvida sobre que outras medidas estão a ser tomadas para dar resposta ao quadro de carência das populações em matéria de cuidados de saúde.


Milhões sem água potável

Cerca de mil milhões de seres humanos não têm ainda acesso a água potável, advertiu o Fundo da ONU para a Infância (UNICEF) durante a Semana Mundial da Água que reúne desde segunda-feira em Estocolmo, na Suécia, diversos especialistas e organizações.
«Nos últimos anos a instabilidade económica global bem como o aumento do número de emergências têm deixado milhões de pessoas, em particular mulheres e crianças, sem serviços básicos, incluindo o acesso a água, saneamento e higiene adequados», refere o comunicado divulgado pela organização.
O problema provoca vítimas principalmente entre as crianças menores de cinco anos. De acordo com estimativas da UNICEF, cerca de 4500 morrem todos os dias devido à falta de acesso àquele bem essencial à vida.
A estrutura das Nações Unidas sublinha ainda que muito está por fazer nesta matéria e lembra que uma «política de bem comum supõe que sejam tidas em conta as diferenças entre população rural e urbana, e entre ricos e pobres».


NATO reforça presença em África

A Organização do Tratado do Atlântico Norte decidiu reforçar a sua presença e intervenção em África. O pretexto é o combate à pirataria na região ao largo da Somália, onde já se encontram vários vasos de guerra de países membros do bloco político-militar imperialista.
Até Novembro decorre a primeira fase da chamada operação «Escudo Atlântico», período após o qual a actual frota deverá ser substituída. O Comando Conjunto da NATO situado em Oeiras assegura o controlo geral das operações.
A marinha portuguesa, envolvida na missão em curso, pode, aliás, vir a desempenhar o papel de comando até ao final deste ano, admitem os responsáveis da NATO cujo interesse é assegurar o trânsito de petróleo nas águas do Corno de África.


Resumo da Semana