Os rendimentos dos portugueses
(Eles) comem tudo e não deixam nada (conclusão)
Na edição do Avante! de 13 de Agosto analisámos, genericamente, a estrutura de rendimentos dos portugueses na base das declarações, em sede de IRS, reportadas a 2007. Foi, então, referido que os rendimentos de 4 433 280 agregados familiares totalizaram 79 671 milhões de euros. Isto significa, estatisticamente, que a cada agregado familiar correspondeu um valor anual de 17 970 euros. Se dividirmos esse valor pelo número médio de pessoas, por família (de acordo com o último Censo) e por 12 mensalidades, chegaremos à conclusão de que o rendimento per capita anda à volta dos 527 euros.

O Alentejo da resistência e da claridade
Vida e morte de Mariana Janeiro<br>no livro Joana Campeoa, de Joseia Matos Mira
Venho de um tempo – sem rebarbativos saudosismos nem penumbrosos remorsos – em que a literatura era uma tarefa cívica, um acto de responsabilidade, e se fazia por impulsos ditados pelos imperativos de um quotidiano agreste e cinzento. Dizia-se, então, que estávamos a tentar salvar o mundo. Ressalvando a pretensão, o certo é que os nossos textinhos, se não salvaram o mundo (e, pelo jeito que ele hoje se apresenta, nem sequer o beliscámos e o tornámos mais habitável) serviram para deixar algum lastro geracional, testemunho de um tempo e alguma argamassa para quem, num futuro quimérico, se tiver paciência e talento, estude e reflicta sobre este tempo amargo que nos coube viver e dele tire ensinamentos para que se não repitam as atrocidades, os atropelos, as infâmias que sofremos e de que fomos testemunhas.

Programa de ruptura, patriótico e de esquerda
Voltamos nesta edição ao programa eleitoral do Partido para as eleições legislativas de 27 de Setembro, o «Programa de Ruptura, Patriótico e de Esquerda». Damos destaque aos «nove eixos centrais para uma política alternativa de esquerda».