A CDU nunca esqueceu os trabalhadores
Périplo pelo distrito de Aveiro
CDU com as populações e os trabalhadores
Miguel Viegas e Fátima Guimarães, candidatos da CDU pelo círculo de Aveiro, visitaram, dia 9 de Setembro, o Centro Tecnológico do Calçado de Portugal.
O Centro Tecnológico do Calçado de Portugal (CTCP) é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1986 pela APICCAPS (Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes e Artigos de Pele e Seus Sucedâneos) e dois Institutos do Ministério da Economia, o IAPMEI e o INETI.
Tem como principais objectivos, entre outros, apoiar técnica e tecnologicamente as empresas da fileira do calçado, promover a formação e a melhoria da qualidade dos produtos e processos industriais, ou realizar e dinamizar trabalhos de investigação e desenvolvimento.
Durante a visita, ambos os candidatos puderam, para além de conhecer por dentro toda a valiosa actividade do Centro, compreender melhor o funcionamento desta importante parceria, que permite prestar uma assistência fundamental a centenas de pequenas e médias empresas que não têm dimensão suficiente para gerar este tipo de serviço no seu próprio seio.
«Daí a relevância desta instituição que, ao agrupar as empresas do sector, consegue reunir os recursos necessários ao financiamento de inúmeros projectos na área da inovação, da investigação ou da certificação, que por sua vez beneficiam toda a fileira do calçado e afins», recorda a CDU, que defende «políticas de incentivo à criação deste tipo de organismos que permitam às pequenas e médias empresas, responsáveis por mais de 95 por cento dos postos de trabalho, ultrapassar as dificuldades que decorrem da sua reduzida dimensão».

Sector financeiro «engorda»

No dia anterior, 8 de Setembro, Miguel Viegas, ia Gomes e António Ferreira, todos candidatos da CDU, reuniram-se com a Associação Empresarial de Águeda. «Como ficou bem demonstrado ao longo da reunião, a maioria dos apoios amplamente divulgados pelo Governo acabam sistematicamente nas mãos dos grandes grupos económicos», acusa a CDU, lamentando o facto de o Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) se perder «na imensa burocracia» e não chegar «a quem precisa». Por outro lado, adianta a Coligação, «o crédito bonificado só tem servido para engordar o sector financeiro e grande parte das medidas de apoio à criação ou defesa do emprego não encontra aplicação prática na esmagadora maioria das empresas que empregam escassas dezenas de trabalhadores».
Antes, Miguel Viegas, Lúcia Gomes e Antero Resende, num momento em que o espectro do desemprego do desemprego volta a pairar junto dos trabalhadores na Rohde, estiveram à porta da empresa, manifestando a sua solidariedade para com os trabalhadores e distribuindo o último requerimento apresentado pelo deputado do PCP Bernardino Soares sobre esta situação.
No comunicado entregue aos trabalhadores, a CDU sublinha que há vários anos que tem estado lado a lado com os trabalhadores da Rohde, defendendo os seus direitos e exigindo medidas de defesa dos postos de trabalho. Na Assembleia da República, na Assembleia Municipal, no Parlamento Europeu, a CDU nunca esqueceu estes trabalhadores e as suas famílias e tudo o que já fizeram por esta região.

Defender a escola pública

Dias antes, continuando o seu périplo por várias instituições da região, Miguel Viegas e Lúcia Gomes estiveram reunidos com dirigentes do Sindicato de Professores da Região Centro. Da parte dos professores participaram Rosa Gadanho e Isabel Passos.
Num encontro profícuo onde foram trocados um conjunto de elementos da maior importância relativos ao sector da educação, os destaques foram naturalmente para a «monumental fraude» que constituiu o recente concurso de colocação de professores apresentado pelo Governo.
Na ocasião, Lúcia Gomes sublinhou o enorme e valioso património de intervenção da CDU na Assembleia da República, citando, a título de exemplo, o facto da CDU ter sido a primeira força política a exigir a suspensão do processo de avaliação de docentes ou ainda as mais de setenta propostas de alteração apresentadas relativamente ao Estatuto da Carreira Docente e o projecto de lei reforçando a protecção das crianças com necessidades educativas especiais.
Por sua vez, Miguel Viegas, encerrando o encontro, procurou enquadrar as tentativas de destruição da escola pública e gratuita numa manobra mais vasta que visa subverter por completo o que resta do actual Estado Social.

Medidas urgentes

Em nota de imprensa, depois de um encontro com a União dos Sindicatos de Aveiro, a CDU manifestou «grande preocupação» com a situação social do distrito e apresentou um conjunto de compromissos, onde se reclama, por exemplo, o «alargamento do acesso ao subsídio de desemprego aos milhares de desempregados que ficaram excluídos desta importante prestação social».
A Coligação reclama, de igual forma, «mais transparência e controlo nas ajudas facultadas às empresas e designadamente na aplicação do lay-off».

«Desafios de um jovem em Ovar»

A Juventude CDU apresentou, no dia 1 de Setembro, na Praia do Furadouro, uma exposição denominada «Desafios de um jovem em Ovar». Nesta mostra, para além de se falar dos vários problemas que existem no concelho, a CDU divulgou as suas propostas para a educação, emprego, cultura, ambiente, desporto e saúde. Participaram nesta iniciativa Diogo D’Ávila e António Macedo, candidatos, respectivamente, à Assembleia da República e cabeça de lista à Câmara de Ovar.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: