Os jovens portugueses estão hoje a viver pior
Jovens comunistas denunciam política de direita
JCP quer construir o futuro
A Direcção Nacional da JCP analisou, sábado, a situação política e social dos jovens portugueses, apontou as principais linhas de trabalho para o futuro e marcou, para Maio de 2010, o seu 9.º Congresso.
Sobre o ciclo eleitoral agora passado, a Direcção Nacional (DN) realçou os importantes resultados obtidos pela CDU nas eleições europeias, legislativas e autárquicas.
«Uma campanha difícil, em primeiro lugar, de combate às políticas de direita, de divulgação de propostas alternativas de esquerda, mas também de resistência aos constantes ataques, discriminações e desvalorização das propostas e obra da CDU», salientam os jovens comunistas, valorizando, entre outros, os «mais de 16 mil votos nas eleições legislativas» e os «10,7 por cento para as assembleias municipais, ultrapassando os 590 mil votos e os 600 mil nas assembleias de freguesia».
A DN da JCP alertou ainda para o facto de jovens estarem a viver pior, nomeadamente no ensino secundário, onde a «educação social continua a não existir na maioria das escolas». As críticas estendem-se ainda ao Estatuto do Aluno, ao aumento das despesas em livros e materiais escolares e aos exames nacionais que «deixaram mais uma vez milhares de estudantes impedidos de concorrer ao ensino superior».

Mais do mesmo

No ensino superior, apesar das medidas demagogicamente apresentadas antes das eleições, o ano lectivo começou «com mais dos mesmos problemas», onde os estudantes não têm dinheiro para «propinas, alojamento, transporte e alimentação». Outros, lamenta a JCP, «nem pensaram em concorrer devido aos custos brutais, mantendo-se a contradição de milhares de vagas por preencher e milhares de estudantes que ficam à porta do ensino superior».
Os jovens comunistas estão ainda preocupados com o desemprego, com a precariedade, com os baixos salários e com a discriminação no usufruto de direitos. Para combater esta situação, a DN defende o «alargamento dos critérios de acesso e o prolongamento do período de atribuição do subsídio de desemprego», a «revogação das medidas mais gravosas do Código de Trabalho e da legislação laboral da Administração Pública» e o «aumento dos salários, em particular o mínimo nacional».

JCP marca congresso para 2010
Construir um mundo melhor

A preparação e realização do 9.º Congresso da JCP, em Maio de 2010, é uma tarefa de grande exigência para toda a organização.
«O envolvimento de cada militante tem um papel importante na construção da opinião e das orientações colectivas, na ligação à realidade concreta do nosso País, aos problemas e aspirações da juventude portuguesa, num quadro em que a ofensiva contra os direitos de Abril é cada vez maior, em que se destroem conquistas em nome de uma crise cujo o único culpado são as políticas de direita, praticada à 33 anos, aprofundadas nos últimos quatro anos e meio de governação PS, reeleito no mês passado», afirmam os jovens comunistas, sublinhando que a realização do Congresso da JCP é, desde já, «uma grande etapa nos últimos 30 anos da nossa organização». «Reforçar o papel ímpar de todo o trabalho colectivo na construção de um mundo novo, na defesa dos direitos e aspirações da juventude portuguesa é o caminho a seguir», acrescenta a JCP.
Entretanto, no próximo dia 10 de Novembro, a JCP comemora o seu 30.º aniversário sob o lema «30 anos a transformar a vida, construir o futuro». Esta comemoração assume-se como uma grande iniciativa de afirmação da JCP.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: