GAIBÉUS – a escrita contra a sujeição
<font color=0094E0>Um épico que inaugura o «nós» no processo narrativo</font>
Acabo de reler Gaibéus, de Alves Redol, numa edição dos «Livros de Bolso Europa-América», de 1971. Estes livrinhos, os primeiros do género dados à estampa entre nós, constituíram-se uma das mais importantes colecções de grandes textos de que este é o número 11, revisto por Redol e com uma extensa e esclarecedora nota introdutória de sua lavra sobre os seus métodos de escrita e da iniciação no ofício de «aprendiz de feiticeiro» e das condições objectivas que a essa tarefa o conduziram.

Neo-realismo
<font color=0094E0>O seu nascimento há 70 anos</font>
Anos trinta. Anos de chumbo. Anos em que a abstrusidade fascista levou Benito Mussolini, em 1935, a declarar que:«O fascismo, antes de tudo no que diz respeito em geral ao futuro e à evolução da humanidade, não crê na possibilidade e na utilização da paz perpétua. Repele, portanto, o pacifismo, que esconde uma renúncia à luta e uma vilania perante o sacrifício. Somente a guerra pode levar todas as energias humanas à máxima tensão, imprimindo um cunho de nobreza aos povos que têm a virtude de enfrentá-la».

<font color=0094E0>Bibliografia</font>

Reuniu o Comité Central
«É com o PCP que podem contar!»
O Comité Central do PCP, reunido a 21 e 22 de Novembro de 2009, analisou desenvolvimentos recentes do novo quadro político e da formação e apresentação do Programa do Governo e procedeu a uma avaliação da situação económica e social do País, bem como das medidas e políticas que se impõem como indispensáveis para lhe dar resposta. O Comité Central debateu e fixou as principais prioridades, direcções e orientações com vista ao reforço do PCP e à concretização da acção «Avante! por um PCP mais forte» decidida pelo XVIII Congresso, e ao desenvolvimento da luta por uma ruptura e uma mudança patriótica e de esquerda na vida nacional.

Resolução do Comité Central do Partido Comunista Português
«Avante! Por um PCP mais forte!»