Polícia espanhola persegue jovens independentistas
Jovens bascos manifestam-se
Repressão condenada
Mais de 20 mil pessoas, segundo o jornal Gara, saíram às ruas de Bilbau, no sábado, 28, em solidariedade com os jovens activistas da esquerda independentista basca presos nos últimos dias pelas autoridades espanholas.
Sob o lema «Todos os projectos, todos os direitos», a manifestação foi convocada para condenar a vaga repressiva das autoridades espanholas desencadeada na madrugada de dia 24, e na qual foram detidos mais de três dezenas de jovens, cujo único crime são as suas convicções independentistas de esquerda e a sua militância na organização juvenil Segui.
O ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rucabalca, declarou que desta vez a direcção da Segui fora definitivamente decapitada. A resposta não tardou: «A nossa direcção é a juventude basca» e «será difícil decapitar uma organização juvenil tão enraizada na juventude e na sociedade».
Reafirmando o seu compromisso de «construir dia a dia a independência do País Basco», a Segui recorda, em comunicado, que em 30 anos de história a repressão esteve sempre presente, no entanto, «sempre que fomos atingidos conseguimos levantar-nos».
Os pais, familiares e amigos dos jovens presos divulgaram um manifesto em que se interrogam sobre o futuro das novas gerações num país em que «os jovens são detidos e encarcerados por trabalharem pelos seus direitos e pelos projectos com que sonham».
O paradeiro desconhecido dos detidos e a impossibilidade de contacto são igualmente motivos de preocupação para as suas famílias, conscientes de que a incomunicabilidade é sinónimo de tortura.
«Aos nossos filhos e filhas, estejam onde estiverem, queremos manifestar-lhe o nosso amor incondicional. Não são nem ladrões, nem malfeitores, são jovens trabalhadores que cometeram um único delito: lutar e amar com todas as suas forças esta terra.»


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: