Breves
Frio nas escolas
Em muitas escolas do litoral, em algumas do distrito de Viseu e nos distritos de Castelo Branco e Guarda, o aquecimento e a climatização das salas de aula «é praticamente inexistente», afirma o Sindicato dos Professores da Região Centro que, para apurar estas situações, efectuou um questionário à classe docente. O SPRC/CGTP-IN constatou que esta situação teve melhorias nos distritos do litoral, graças ao seu contributo. Nos últimos cinco anos, durante Dezembro e Fevereiro, o sindicato tem procedido à verificação daquelas condições nas escolas e jardins de infância dos seis distritos da região.

No estrangeiro
Sem actualizações salariais respeitantes ao ano que agora finda,os trabalhadores dos centros culturais portugueses no estrangeiro, dependentes do Instituto Camões, lançaram um abaixo-assinado para manifestarem o seu descontentamento.
O Sindicato dos Professores no Estrangeiro, SPE/Fenprof, reuniu, dia 23, com o secretário de Estado Adjunto e da Educação, a quem manifestou preocupações relativas à transferência de docentes para a tutela do Instituto Camões, à substituição dos coordenadores de ensino e ao funcionamento futuro do Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação. Por resolver continua a não contagem de três anos de tempo de serviço aos professores em licença sem vencimento, provocada pelo Decreto-Lei n.º 165/2006.

Mais precariedade
O Governo quer suprir as necessidades de quadros na Administração Pública criando um programa de cinco mil estágios, em vez de fomentar o emprego, acusou, dia 22, Ana Avoila, coordenadora da Frente Comum, após uma reunião com um secretário de Estado do Ministério da Administração pública, que apresentou uma proposta de diploma com aquele propósito. «Em vez de criar emprego, o diploma destina-se apenas a substituir postos de trabalho efectivos por estagiários», acusou a dirigente sindical.

Gaia
Por pagar, no Centro Hospitalar de VN de Gaia, estão milhares de horas de trabalho suplementar aos enfermeiros. Como exemplo, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP/CGTP-IN) salientou um só serviço onde há mais mil horas de trabalho extraordinário não remunerado. Lamentando a insensibilidade da administração, o sindicato lembrou que esta situação ocorre em mais de uma dezena de hospitais EPE, onde são devidas aos mais de 56 500 horas extra.

UCC
Foram inauguradas as primeiras Unidades de Cuidados na Comunidade (UCC), às quais os enfermeiros apresentaram mais de 300 candidaturas, cobrindo quase todos os centros de saúde, em apenas sete meses, numa demonstração do empenho, trabalho e responsabilidade, congratulou-se o SEP, no dia 18.

Belmonte
Na Santa Casa da Misericórdia de Belmonte não foram pagos os subsídios de Natal aos trabalhadores, depois de já ter ficado em falta o subsídio de férias, alertou, numa nota a imprensa de dia 18, o Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Sul e Açores, salientando que, para estes trabalhadores, pouco feliz foi o Natal.

Lousã
Abandonado por sucessivos governos, o ramal ferroviário da Lousã foi integrado no sistema de metro ligeiro, opção que segundo o Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário é mais cara, tem velocidades mais baixas e uma menor capacidade de transporte de passageiros. Num comunicado, o SNTSF/CGTP-IN considerou que a dinamização daquela linha é um imperativo para garantir melhor mobilidade na região conimbricense e considera fundamental a sua modernização e a aquisição de novo material circulante. Esta solução seria, «também segundo muitos técnicos, mais barata, não levaria ao encerramento da linha e potenciaria um transporte mais rápido, mais seguro e com maior capacidade de transporte».