Redução de receitas e aumento de despesas no futuro
Eleitos do PCP na Assembleia Municipal de Lisboa
Contra a privatização da <i>TAP</i> e <i>ANA</i>
Os eleitos do PCP na Assembleia Municipal de Lisboa apresentaram, anteontem, uma moção contra a privatização da TAP e ANA e defenderam a gestão pública deste sector estratégico para a economia e para a soberania nacional.
«É intenção do Governo privatizar os grupos TAP e ANA, o que poria em causa o futuro de praticamente todo o sector do transporte aéreo nacional, representando mais de 20 mil postos de trabalho e mais de três por cento do Produto Interno Bruto: a companhia aérea de bandeira e seu serviço de manutenção, a rede aeroportuária do Continente e Regiões Autónomas, as empresas de assistência em escala SPdH e Portway, a PGA, as Lojas Francas de Portugal, a Cataringroup», acusam os comunistas, lembrando que a TAP tem uma importância estratégica para a economia, para a ligação às comunidades portuguesas, para o turismo e para a coesão do território nacional, para a projecção de Portugal no mundo. Relativamente à ANA, prosseguem os eleitos do PCP, a sua privatização terá como contrapartida «uma redução de receitas e aumento de despesas no futuro e a subalternização dos aeroportos nacionais face ao capital estrangeiro». Na Assembleia Municipal, os comunistas alertaram para os problemas que existem no Agrupamento Damião de Góis, nomeadamente nas escolas básicas n.º1 dos Lóios e Luísa Neto Jorge.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: