Sessão pública do PCP em Lisboa
Um marco na História pleno de actualidade

A assinalar os 120 anos das primeiras manifestações do 1.º de Maio, o PCP realizou em Lisboa, a 29 de Abril, uma sessão pública em que intervieram José Ernesto Cartaxo, Graciete Cruz, Ilda Figueiredo, Francisco Lopes e Jerónimo de Sousa.

Em todas as intervenções foi sublinhada a importância histórica do primeiro Dia Internacional dos Trabalhadores e todos os oradores realçaram aquilo que hoje persiste da nova fase de luta de classe operária, que então se abriu: as conquistas sociais arrancadas ao capital dominante, o travão ao agravamento da exploração, a construção de sociedades livres deste flagelo, a força para os combates dos nossos dias, a confiança no socialismo como futuro próximo da humanidade.

Nessa quarta-feira, ao final da tarde, o salão, que já foi «de jogos», da Casa do Alentejo encheu-se, com camaradas de Lisboa e de outros distritos, muitos deles com actividade no movimento sindical e nas comissões de trabalhadores, em células de empresas e organismos que intervêm na área laboral. Mas também compareceram deputados e militantes com tarefas de menor projecção mediática, além de alguns convidados.

No hall, numa banca das Edições «Avante!», destacava-se a nova colectânea «Maio, trabalho, luta », publicada para este aniversário do 1.º de Maio, com 80 poemas de autores de 20 países - obra acompanhada por um DVD, contendo a declamação dos poemas por duas dezenas de artistas portugueses.

A sessão «1.º de Maio - 120 anos contra a exploração, pelos direitos dos trabalhadores, pelo progresso social» foi dirigida por Armindo Miranda, da Comissão Política do Partido, que justificou por um impedimento de última hora o facto de esse papel não estar a ser desempenhado por Paulo Raimundo, como estava anunciado. Apresentou os camaradas que ocuparam os lugares na mesa, ao seu lado: os cinco oradores e Luís Leitão, Guilherme Fernandes e Luísa Alves.

As intervenções foram escutadas por um público atento e activo, que as pontuou, por diversas vezes, quer com aplausos, quer com sonoras ovações «PCP! PCP!». Os textos estão publicados, na íntegra, no renovado sítio do Partido na Internet, integrando um dossier dedicado aos 120 anos do 1.º de Maio. Aos leitores, deixamos nas páginas seguintes alguns excertos.

José Ernesto Cartaxo, o primeiro orador, falou sobre «Significado e dimensão históricos do 1.º de Maio e a luta dos trabalhadores na actualidade». «Contra a exploração, pelos direitos dos trabalhadores, pelo progresso social» foi o tema de Graciete Cruz. A intervenção de Ilda Figueiredo versou «O trabalho, condição de desenvolvimento». Francisco Lopes abordou o tema «Unidade, organização e luta dos trabalhadores; papel e acção do PCP». A intervenção final, de Jerónimo de Sousa, intitulou-se «120 anos - 1º de Maio pelos direitos dos trabalhadores».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: