Declaração de Partidos Comunistas e Operários
Comemoremos os 65 anos da Vitória!

A 9 de Maio comemorara-se o 65.º aniversário da Vitória sobre o nazi-fascismo – a mais brutal e violenta expressão do domínio dos monopólios, num sistema capitalista em profunda crise -, que conduziu a Humanidade a uma das maiores catástrofes da sua História, com a barbárie dos campos de concentração e o cortejo de morte e destruição que a Segunda Guerra Mundial significou para os povos.

Os comunistas estiveram desde o primeiro momento na primeira linha, mobilizando e organizando os trabalhadores e os povos para a resistência. A luta anti-fascista contou com a firme e resoluta acção dos comunistas, pela qual milhões deram as suas vidas.

Para a Vitória sobre as hordas fascistas foi determinante o heróico contributo da URSS, do seu Exército Vermelho, do seu povo, que sofreu cerca de 27 milhões de mortos.

Foi com a vitória em 1945 e a formação do campo socialista que milhões de homens e mulheres encetaram a sua emancipação, libertando-se da exploração, da opressão e do colonialismo, e o movimento operário alcançou enormes conquistas sociais e políticas, no caminho de progressos nunca antes alcançados na história da Humanidade.

Na actual situação, em tempos de profunda crise do capitalismo, em que a ofensiva desencadeada por várias organizações imperialistas, como a NATO e a União Europeia, atinge tão duramente as massas trabalhadoras, a Humanidade está de novo confrontada com grandes perigos resultantes do agravamento das contradições do imperialismo, da corrida aos armamentos, do reforço das alianças militares agressivas e da tentativa de impor pela força o aumento brutal da exploração, da precariedade das relações laborais, dos despedimentos, do desemprego, da pobreza, da negação da satisfação das necessidades mais básicas de milhões e milhões de seres humanos.

Deste modo, apelamos a que se assinale o 65 aniversário da vitória sobre o nazi-fascismo como um importante marco na luta pela paz, contra a monumental falsificação da História e o anticomunismo – que como a história mostra, é sempre antidemocrático -, que tentando equiparar fascismo com comunismo e apagar o papel decisivo dos comunistas na libertação dos povos do jugo nazi-fascista, procura criminalizar, ilegalizar, reprimir, não apenas os ideais e a acção dos comunistas mas de todos os democratas que se oponham à dominação e à exploração capitalistas, o seu propósito de perseguir e reprimir todos os que, de alguma forma, resistam e lutem organizadamente contra os monopólios e o imperialismo.

Para nós, comunistas, evocar o 65.º aniversário da Vitória é reafirmar a nossa profunda convicção na luta pela emancipação social, na justiça dos nossos valores e ideais libertadores; é reafirmar a nossa determinação em combater as causas e as forças que estiveram na raiz do horror fascista; é reafirmar a nossa confiança inabalável de que o futuro pertence não aos que oprimem e exploram, mas aos trabalhadores e aos povos que resistem e lutam em prol da emancipação da Humanidade das grilhetas da exploração do homem pelo homem e por uma sociedade onde os trabalhadores usufruam plenamente da riqueza por si criada, do progresso social, da paz e do bem-estar. O futuro pertence não ao capitalismo, mas sim ao Socialismo e ao Comunismo».

 

Partido Comunista Sul-africano; Partido Comunista Alemão; Partido Comunista da Arménia; Partido Comunista do Azerbeijão; PADS da Argélia; Partido Comunista da Austrália; Partido do Trabalho da Bélgica; Partido Comunista da Bielorrússia; Partido Comunista do Brasil; Partido Comunista do Canadá; Partido Comunista da Boémia e Morávia; Partido Comunista do Chile; Partido Socialista dos Trabalhadores da Croácia; Partido Comunista de Cuba; Partido Comunista na Dinamarca; Partido Comunista de Espanha; Partido Comunista dos Povos de Espanha; Partido Comunista dos EUA; Partidos dos Comunistas da Catalunha; Partido Comunista das Filipinas (PKP-1930); Partido Comunista da Finlândia; Novo Partido Comunista Britânico; Partido Comunista Britânico; Partido Comunista Unificado da Geórgia; Partido Comunista da Grécia; Novo Partido Comunista da Holanda; Partido Comunista dos Trabalhadores da Hungria; Partido Comunista da Índia Marxista; Partido Comunista da Índia; Partido do Povo do Irão; Partido Comunista Iraquiano; Partido Comunista da Irlanda; Partido Comunista de Israel; Partido Comunista do Kasaquistão; Partido Comunista Libanês; Partido Comunista Luxemburguês; Partido dos Comunistas do México; Partido do Povo da Palestina; Partido Comunista do Paquistão; Partido Comunista Peruano; Partido Comunista Português; Partido Comunista da Polónia; Partido Comunista Quirguistão; Partido Comunista da Federação Russa; União dos Partidos Comunistas – CPSU – Rússia; Partido Comunista da Síria; Partido Comunista da Suécia; Partido do Trabalho (EMEP) da Turquia; Partido Comunista da Ucrânia; Partido Comunista da Venezuela.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: