Novas injustiças<br>de uma velha política<br>de desastre nacional

Nos últimos três meses assistimos a uma colossal ofensiva contra os direitos dos trabalhadores e do povo português. Em nome da crise do défice das contas públicas, semana após semana, PS, PSD e CDS foram concertando medidas que no seu conjunto procuram dar um novo salto qualitativo na relação de forças entre capital e trabalho. Medidas que, satisfazendo as pretensões da União Europeia e de outras estruturas internacionais do capitalismo, sacrificando importantes dimensões da nossa soberania nacional, deixaram intocáveis os lucros e os privilégios dos grandes grupos económicos e financeiros.Os principais órgãos de comunicação social, os analistas e comentadores ao serviço do sistema, passaram semanas a defender o carácter «inevitável» destas medidas, a esconder a quem elas servem, a apelar à resignação e ao conformismo, a apagar a ideia de que a alternativa a estas políticas não só existe como é indispensável para responder aos problemas do país.

Esclarecer, informar e denunciar a operação em curso, mobilizar para a luta, afirmar as propostas para uma política alternativa patriótica e de esquerda, eis os objectivos do conjunto de informações que a seguir se apresenta.



Manifestação histórica mostrou indignação e mobilização
Energia para todas as lutas

A CGTP-IN e várias estruturas do movimento sindical unitário, ao saudarem o nível inédito de participação na manifestação nacional de 29 de Maio, salientam que a resposta das trabalhadoras e dos trabalhadores constituiu um ponto de partida para intensificar a luta, por todas as formas que se mostrem necessárias.