Aconteu
Uma década de empobrecimento

A economia portuguesa registou na última década um crescimento do PIB de apenas 6,47 por cento, ou seja um valor que ficou abaixo da inflação registada no mesmo período, e que representa uma das piores performances na Europa e no mundo, apenas superada pelo Haiti (-2,39) e a Itália (2,43) por cento.

Com um PIB de cerca de 160 mil milhões de euros em 2010, segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) citados pelo jornal espanhol El País, Portugal caiu do 35.º lugar que ocupava em 2000 para o 38.º em 2010 no ranking das maiores economias.


Chavez visitou Portugal

Portugal foi a última etapa de uma viagem que levou Hugo Chávez ao Irão, Síria e Líbia, depois de ter visitado a Rússia, Bielorrússia e Ucrânia.

No nosso País, onde chegou no domingo, 24, acompanhado de nove ministros, o presidente da Venezuela assinou vários acordos de cooperação económica, que incluem a construção de dois navios nos Estaleiros de Viana do Castelo, orçados em 130 milhões de euros, um projecto de habitação social com cerca de 12 500 fogos, calculado em 682 milhões de euros, que foi entregue a uma empresa portuguesa, bem como o fornecimento de 1,5 milhões de computadores para crianças nos próximos três anos.

No campo energético foram ainda rubricados memorandos de entendimento para a cooperação energética envolvendo a Galp.


O país dos advogados

Portugal é o país da Europa com mais advogados por juiz (14,5), um rácio maior do que o da Dinamarca, Noruega e Bélgica, e é o terceiro com mais procuradores (12,6 por 100 mil habitantes), atrás da Noruega e da Polónia.

Todavia, segundo o quarto relatório da Comissão Europeia para a Eficácia da Justiça (CEPEJ), um organismo do Conselho da Europa, o nosso país ocupa o meio da tabela quando se avalia a relação entre magistrados (juiz ou procurador) e funcionários judiciais (2,6), quase um terço do rácio da Espanha (6,8) e metade do rácio do Reino Unido (5,0).

O estudo, divulgado na segunda-feira, 25, não inclui Portugal na comparação das verbas ao dispor dos tribunais, Ministério Público e assistência judicial, uma vez que as autoridades nacionais não forneceram dados sobre o orçamento anual total atribuído a este sector da administração pública.

Entretanto, o secretário-geral do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, José Palma, considerou que, no que se refere ao número de magistrados, as «conclusões do relatório estão deturpadas», já que, em vez de abundância, existe «um quase défice», por falta de profissionais «recrutados pelos mecanismos legais normais».


Portagens nas SCUT contestadas por espanhóis

A contestação dos condutores espanhóis, sobretudo galegos, ao complicado e caro sistema de pagamento dominou a primeira semana de cobrança de portagens nas antigas SCUT.

«A portagem mais cara e caótica do mundo», titulou o diário espanhol El Mundo, notando que viajar da Galiza para o Porto implica pagar 77 euros por um percurso de 76 quilómetros.

Este valor decorre da obrigatoriedade de os veículos de matrícula estrangeira disporem de um dispositivo electrónico que custa 27 euros e exige um carregamento mínimo de 50 euros (100 euros para veículos pesados).

Como se não bastasse, os dispositivos para matrículas estrangeiras só começaram a ser comercializados no primeiro dia de cobrança de portagens e apenas em duas áreas de serviço, onde rapidamente se esgotaram.

A Via Verde não só foi incapaz de responder à grande procura de identificadores como não acolheu os pedidos de isenções e descontos, os quais só podem ser feitos por Internet. No entanto, o respectivo site esteve inacessível durante grande parte da semana, alegadamente saturado pela grande afluência, o que impediu muitos condutores de exercerem o direito às isenções.


Jazz é no Seixal

A 11.ª edição do SeixalJazz arrancou dia 20 com uma programação variada, onde se destacam músicos consagrados nacionais e estrangeiros. Os espectáculos, que decorrem até 6 de Novembro, têm lugar nos antigos refeitórios da antiga corticeira Mundet, com entrada livre, e no Auditório Municipal, sujeitos a bilheteira.

Nos primeiros dias, já passaram pelo festival o trio norte-americano formado por Ken Vandermark, Haward Wiik e Chad Taylor, bem como os portugueses João Firmino Quinteto, David Ferreira e Júlio Resende.

Depois da actuação, ontem, 27, do famoso contrabaixista norte-americano Charlie Haden com o seu "Quartet West", está anunciado para hoje, no Auditório Municipal, Dave Holland Quintet, bem como o trio de João Paulo, Nelson Cascais

e João Lencastre «No Project», nos refeitórios da Mundet.

O programa inclui ainda Steve Wilson Quartet, Tony Malaby’s Tamarindo, James Cárter, no octeto «Odean’s List», sendo encerrado com a música de Carlos Barretto «Lokomotiv».



Resumo da Semana
Frases