Aconteu
Nos 92 anos de Joaquim Lagoeiro

Acaba de sair do prelo mais um livro de contos de Joaquim Lagoeiro. Chama-se Baile, que é também o título dado a uma das seis saborosas histórias que compõem mais esta edição com a qual este mestre da escrita comemora os seus 92 anos.

Autor de uma vasta obra que se reparte pelo romance, contos e novelas, contos infantis, crónicas linguísticas e poesia, Joaquim Lagoeiro é acompanhado neste seu mais recente projecto por João Fanha, responsável pelo design e capa, numa edição do próprio tendo como depositário a Livraria Ler, Limitada.

 


«José e Pilar» nos cinemas

Chegou às salas de cinema no dia 18 o filme de Miguel Gonçalves Mendes centrado na relação entre José Saramago e Pilar del Rio. Chama-se «José e Pilar» e revela-nos parte do processo de criação do autor de Levantado do Chão, do quotidiano do casal em Lanzarote e Lisboa, bem como das suas viagens por todo o mundo.

«Saramago pagou preços muito altos para mostrar que somos cidadãos mas não somos tolos», afirmou Pilar del Rio perante as pessoas que na ante-véspera encheram o cinema São Jorge, em Lisboa, para assistirem à ante-estreia comercial do documentário que considerou um «testemunho de um dos maiores escritores do século XX».

À sala principal de leitura da Biblioteca Municipal de Lisboa, no Palácio de Galveias, foi entretanto dado o nome de José Saramago, o único escritor de língua portuguesa a receber o Nobel da Literatura. O acto decorreu no dia 17, no quadro de um conjunto de iniciativas destinadas a evocar a sua figura e obra no ano em que, se fosse vivo, faria 88 anos.

José Saramago foi um frequentador assíduo da biblioteca do Palácio Galveias, a sua «universidade», como a definiu Pilar del Rio na cerimónia que contou com a presença do autarca de Lisboa, António Costa

 


Lucros das seguradoras em alta

Os resultados líquidos das empresas de seguros ultrapassaram os 272 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, com 33 das 47 seguradoras supervisionadas pelo Instituto de Seguros de Portugal a apresentarem lucros, anunciou no dia 17 o supervisor do sector.

Para os bons resultados concorreu o crescimento de 4,9 por cento do valor das carteiras de investimento das empresas de seguros, que resultou do incremento das aplicações afectas às carteiras do ramo Vida, «com particular destaque para o investimento em títulos de dívida», segundo comunicado do próprio ISP.

 


Gonçalo M. Tavares premiado

O escritor Gonçalo M. Tavares foi o vencedor do Prémio do Melhor Livro Estrangeiro publicado em França em 2010, com o romance «Aprender a Rezar na Era da Técnica».

A notícia foi conhecida esta segunda-feira por via do seu editor, Zeferino Coelho, da Caminho, que publicou em 2007 este quarto romance da série «O Reino» (depois de «Um Homem: Klaus Klump», «A Máquina de Joseph Walser» e «Jerusalém») e que chegou esta ano às livrarias francesas com o título «Apprendre à Prier à l’Ère de la Technique», numa tradução de Dominique Nédellec.

 


Dissolução da NATO!

Almada recebeu, no dia 19, o Encontro Internacional Paz Sim! NATO não!; NATO, inimiga da paz e dos povos – Dissolução!, promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação em parceria com o Conselho Mundial da Paz. No encontro, que contou com o apoio do município, participaram representantes de movimentos da paz de 13 países da Europa, do Médio Oriente e da América, para além de elementos de organizações nacionais integrantes da Campanha «Paz Sim! NATO Não!». As delegações estrangeiras incorporaram-se, no sábado, na manifestação de Lisboa.

Em debate estiveram temas como o novo conceito estratégico da NATO; as agressões em curso no Iraque e no Afeganistão; a ameaça nuclear; as ameaças contra os direitos dos povos no Médio Oriente, América Latina ou África; o aumento das despesas militares e, claro, o reforço do movimento da paz.

 


José Rodrigues galardoado

O escultor e desenhador José Rodrigues foi o grande vencedor da edição deste ano do «Prémio de Artes Casino da Póvoa». Na sua quinta edição, este galardão visa reconhecer o contributo de um artista para a arte e cultura em Portugal.

José Rodrigues, um dos nomes mais importantes da arte portuguesa contemporânea, constituiu em 1968 o grupo «Os Quatro Vintes» (com Armando Alves, Ângelo de Sousa e Jorge Pinheiro), sendo um dos fundadores da Cooperativa Cultural Árvore, no Porto, precursora de um projecto de ensino abrangendo diversas linguagens criativas. Como dinamizador cultural, a vida deste mestre das Artes Plásticas Portuguesas fica ainda ligada à organização das bienais de Vila Nova de Cerveira.

 



Resumo da Semana
Frases