OIT defende protecção social
Um direito raro

Oitenta por cento da população mundial não está abrangida por mecanismos de protecção social, como pensões, alertou, na segunda-feira, a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Segundo revelou, em conferência de imprensa, o director do Departamento de Segurança Social da OIT, Michael Cichon, «apenas 20 por cento da população mundial têm actualmente acesso a mecanismos de protecção social».

Salientando que a protecção social contribui para o crescimento económico, melhorando a produtividade e contribuindo para a estabilidade social, este responsável considerou que se trata sobretudo de «um direito fundamental de cada indivíduo» e que «tem sido esquecido desde há muito».

Mas «o verdadeiro escândalo» reside no facto de, segundo a OIT, «precisarmos de apenas dois por cento do Produto Interno Bruto (PIB) mundial para proporcionar sistemas sociais básicos a todos os pobres do mundo». Atingir este objectivo não é uma utopia, garantiu Michael Cichon.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: