O Governo vai encerrar 14 SAP em todo o País
Vendas Novas contra encerramento do SAP
Protestos vão continuar

A Câmara de Vendas Novas aprovou, por unanimidade, uma resolução contra o encerramento do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) local.

Image 6758

Foto LUSA

Em nota de imprensa, a autarquia comunista manifestou-se ainda a favor da criação de um Serviços de Urgência Básico (SUB) no concelho e expressou toda a sua «disponibilidade» e «empenhamento» para apoiar a luta do Movimento de Cidadãos em Defesa das Urgências e das populações em torno da defesa do SAP/Urgências.

Estas são as primeiras reacções da Câmara Municipal perante as mais recentes notícias vindas a público anunciando que o Governo se prepara para encerrar 14 SAP, entre os quais o de Vendas Novas. Uma informação que surge apesar de a actual ministra da Saúde Ana Jorge ter assumido, em Outubro de 2008, durante uma reunião com os autarcas de Vendas Novas, o compromisso de manter em funcionamento o SAP durante 24 horas, não inviabilizando de todo a instalação de um SUB no concelho.

«Um compromisso que resulta da luta levada a cabo pelas populações e autarquia do concelho de Vendas Novas e que obrigou o Governo do PS e o ex-ministro Correia de Campos a recuar na intenção de encerrar o respectivo SAP/Urgências», sublinha no documento enviado às redacções a autarquia, que tem feito diligências no sentido de se inteirar dos constrangimentos provocados pelos cortes e reduções na emissão de credenciais aos doentes que precisam de transporte para consultas ou tratamentos.

Neste âmbito, a Câmara Municipal reuniu com a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vendas Novas para se inteirar dos problemas que a instituição está a enfrentar, e solicitou audiências à ministra da Saúde, à presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo e ao coordenador do Centro de Saúde de Vendas Novas.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: