«É muito difícil a situação que se vive no Douro»
Vitivinicultores exigem mais apoios
«Manifesto Duriense»

Num encontro promovido pela Associação dos Vitivinicultores Independentes do Douro, cerca de 200 agricultores aprovaram um «Manifesto Duriense», que prometem entregar ao Governo, ao Parlamento e ao Presidente da República.

Image 7019

No documento, votado domingo, em Peso da Régua, os vitivinicultores exigem o aumento do benefício para a vindima 2011 e a venda do vinho a preços que cubram os «constantes aumentos» dos custos de produção.

«É muito difícil a situação que se vive no Douro», alertou Berta Santos, dirigente da AVIDOURO, lembrando que aqueles agricultores estão à «rasca» e que a Região Demarcada do Douro está a «encher-se de vinho», enquanto os problemas crescem ao ponto de «já haver gente a passar fome». Criticou, de igual forma, o fosso entre os pequenos e médios produtores e os grandes proprietários da mais antiga região demarcada do mundo.

Berta Santos frisou ainda que os vitivinicultores, os mesmo que ajudaram a construir os socalcos e a moldar a paisagem, ou não conseguem vender o vinho ou este é vendido a preços muito reduzidos. Os lavradores estão a receber pelo vinho do Porto cerca de 600 euros por pipa (550 litros), e, no que diz respeito aos vinhos do Douro «ainda nem sequer se sabe quais os preços que vão ser praticados», constando-se que «vão andar entre 75 e 125 euros por pipa».

Para «moralizar» a situação que se vive na região, os vitivinicultores exigem «um aumento do benefício para a vindima 2011» e «a venda do vinho a preços que cubram os custos de produção».

O benefício é a quantidade de mosto que cada viticultor pode destinar à produção de Vinho do Porto e que é fixado em cada vindima pelo Conselho Interprofissional do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP).

«Neste momento o que se sente é que o comércio domina da cepa ao cálice e os vitivinicultores estão completamente na mão das grandes quintas e do comércio», sublinhou Berta Santos, informando que os vitivinicultores vão participar na manifestação de 20 de Maio, em Lisboa, promovida pela Confederação de Agricultores de Portugal (CNA).



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: