A situação actual demonstra que o Tratado de Lisboa não é a resposta que os países e os povos precisam e que a União Económica e Monetária aprofunda e agrava a crise.»

(Ilda Figueiredo, Público, 11.04.11)

 

«Pelos vistos foi o PSD quem deu mais. Arrematou o candidato dos “valores”e dos “princípios” com a promessa da presidência da AR. E [Fernando] Nobre fez o negócio da sua vida.»

(Manuel António Pina, Jornal de Notícias, 12.04.11)

 

«Nobre fecha Facebook invadido por protestos / Candidatura pelo PSD gera comentários indignados»

(Título e pós-título de 1.ª página, ibidem)

 

«Islandeses recusam [em referendo e pela 2.ª vez] pagar dívida externa [por falência de banco privado]»

(Título, Jornal de Notícias, 11.04.11)

 

«O “não” no referendo de sábado [na Islândia colocou] (...) na mesa um problema: terão os contribuintes de pagar as consequências de um crime em que não foram tidos nem achados?»

(Editorial, Público, 11.04.11)

 

«O programa eleitoral do PS é apenas – leu Sócrates no teleponto da Exponor – o mesmo PEC-4 rejeitado pela AR»

(Honório Novo, ibidem)

 

«Ninguém pensou que seria melhor o PS apresentar-se [no congresso] como o partido das ideias para Portugal do que como o partido da lealdade ao chefe?»

(José Vítor Malheiros, Público, 12.04.11)

 

«Uma das explicações para este congresso [do PS] alegremente mentecapto e de glorificação do líder é, simplesmente, que alguém tenha posto alguma coisa na água. Outra explicação possível é que o PS seja só isto.»

(Idem, ibidem)

 

«José Sócrates surgiu no congresso do PS um político gasto. Sem um projecto, sem uma ideia, (...) soando até como ridículo o seu novo discurso de crítica ao PSD ultraliberal. Não porque o PSD não tenha propostas claramente neoliberais. Mas por uma questão de coerência que (...) não deixou de fazer sentido em política.»

(São José Almeida, Público, 11.04.11)

 

E não deixa de ser absurdo ouvir criticar o neoliberalismo pela boca de quem nos últimos seis anos introduziu no Estado e na governação a agenda neoliberal da Comissão Europeia.»

(Idem, ibidem)