Aconteu
Director do FMI preso por agressão sexual

O director-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, foi preso preventivamente, depois de a juíza nova-iorquina, Melissa Jackson, ter recusado libertá-lo sob caução de um milhão de dólares.

Strauss-Kahn foi acusado na madrugada de domingo de agressão sexual, tentativa de violação e sequestro de uma empregada de hotel no quarto onde estava hospedado em Nova Iorque.

Foi detido quando já se encontrava a bordo de um avião da Air France no aeroporto J.F.Kennedy em Nova Iorque. Os sete crimes de que Strauss-Kahn é acusado pela justiça norte-americana são passíveis de uma pena de prisão que poderá atingir os 74 anos e três meses, segundo documentos judiciais, citados pelas agências internacionais.

A juíza evocou o risco de fuga para ordenar a prisão preventiva do antigo ministro da Defesa francês. Na audição, a acusação implicou o antigo ministro socialista num outro caso semelhante: «Existem informações segundo as quais ele teve uma conduta semelhante em pelo menos outro caso», disse o procurador diante do tribunal.


Crise gera prostituição

As técnicas da Associação «O Ninho» aperceberam-se a partir de 2009 que começavam a aparecer nas ruas de Lisboa novas mulheres. «São mulheres de todas as idades que se prostituem para pagar as contas», declarou à Lusa (15.05) Inês Fontinha, presidente daquela instituição, que trabalha com prostitutas há cerca de 40 anos.

«Estas mulheres só o fazem para resolver um problema do momento, porque a ideia é abandonar aquela vida. Mas não é fácil porque muitas vezes não encontram alternativas. Nos últimos tempos, temos tido várias mulheres que recorrem a nós pedindo-nos ajuda porque não querem continuar».

Ainda segundo Inês Fontinha, «as mulheres estão desesperadas. Aqui há uns anos pediam ajuda à família, mas hoje nem a família pode ajudar», lembrando que estas mulheres vivem entre o medo de ter como cliente um vizinho do bairro ou de serem rejeitadas por um filho que descobre o que andam a fazer.


Jovens dispostos a emigrar

Mais de metade dos jovens portugueses (57 por cento) afirmam estar dispostos a trabalhar noutro país europeu, segundo um inquérito divulgado, dia 13, pela Comissão Europeia.

O «Eurobarómetro sobre Juventude em Movimento» revela que 53 por cento dos jovens europeus admitem trabalhar noutro Estado-membro. Relativamente aos portugueses inquiridos, 32 por cento manifestaram-se dispostos a trabalhar fora de Portugal por um período limitado de tempo, 25 por cento também admitem emigrar e por um período mais longo, e apenas 38 por cento recusam a ideia de trabalhar no estrangeiro.


CM do Barreiro<br>cria tarifário social

O presidente da Câmara da Municipal do Barreiro, Carlos Humberto (PCP), anunciou, segunda-feira, a criação de tarifários especiais para a água, com o objectivo de ajudar as famílias mais desfavorecidas, o comércio e as instituições de solidariedade.

Um dos tarifários destina-se a famílias com um agregado familiar igual ou superior a cinco pessoas, enquanto outro é dirigido a famílias cujo agregado receba menos que o ordenado mínimo nacional, como é o caso de muitos reformados.

As pequenas empresas, cujo volume de negócios não ultrapasse os 150 mil euros, são também beneficiadas, tal como as instituições com carácter social.

«Em geral o valor da água a pagar será mais baixo, mas isso não significa que a factura o seja, porque existe o valor a pagar de saneamento e resíduos. O que procurámos foi reequilibrar a situação», explicou Carlos Humberto, lembrando a entrada em funcionamento da Estação de Tratamento de Águas Residuais.


Obras completas<br>de Eugénio de Andrade

A Rosto Editora acaba de dar ao prelo dois belos volumes encadernados, que reúnem toda a poesia, prosa e tradução de Eugénio de Andrade (1923-2005).

A obra poética inclui, à laia de introdução, o texto de Óscar Lopes, «Mãe-d´Água, ou a poesia de Eugénio», publicado em 1993, pelo qual o poeta tinha particular apreço.



Resumo da Semana
Frases