Aconteu
Festa do teatro arranca em Almada

O Festival de Teatro de Almada (FTA) arrancou, na segunda-feira, 4, com a peça «Fabula Buffa», escrita a partir de um texto de Dario Fo, na primeira de muitas homenagens desta edição ao teatro italiano.

Pelo palco grande da escola D. António da Costa, em Almada, passaram as personagens imaginadas pelo dramaturgo, encenador, actor e artista plástico Dario Fo, Nobel da Literatura em 1997.

A peça é uma criação do Teatro Picaro, de Paris, França, e tem como intérpretes os italianos Ciro Cesarano e Fabio Gorgolini.

A Commedia dell'Arte, movimento italiano de actores contra as práticas cortesãs e o teatro conformista nos séculos XV e XVI, que aguarda ser declarado este ano pela UNESCO como património cultural e imaterial da humanidade, é o grande homenageado da edição deste ano do festival.

A 28.ª edição do FTA, que continua até dia 18 de Julho, leva a palco 11 estreias de companhias de dez países, num total de 27 representações, que decorrerão em Almada, Lisboa, Coimbra e Porto.


Maioria dos concelhos perde população

Apenas um em cada três concelhos aumentou de população na última década, indica o Censos 2011, segundo o qual se assinalam quebras populacionais em todas as regiões do País.

Ao todo, 199 concelhos a perderam população, num total de 308. Aqui estão incluídos todos os concelhos das regiões da Serra da Estrela, Beira Interior Norte, Cova da Beira e Baixo Alentejo.

Segundo os dados preliminares do Censos, apresentados dia 30 de Junho, Armamar (região do Douro) foi o concelho que registou maior quebra (21,88%), seguindo-se Carrazeda de Ansiãs, Mourão (Alentejo), e Meda (Beira Interior) com reduções na ordem dos 17 por cento.

Em sentido inverso, Santa Cruz (Madeira) teve a maior subida populacional relativa (44,74%), seguindo-se Mafra, na região de Lisboa, com 41,19 por cento, e, na região de Setúbal, Alcochete (35,01%), Montijo (30,99%) e Sesimbra (30,92%).

Na década entre 2001 e 2011, o crescimento da população residente foi de 199 700 pessoas, o que decorre de um saldo natural de cerca de 17 600 indivíduos e do saldo migratório estimado em cerca de 181 100 pessoas.

A população residente em Portugal cresceu 1,9 por cento entre 2001 e 2011, para 10 555 853 pessoas. O número de famílias subiu 11,6 por cento, para 4 079 577, enquanto os alojamentos cresceram 16,3 por cento, para 5 879 845.


Fisco penaliza trabalho e beneficia capital

Portugal foi um dos poucos estados-membros da União Europeia onde o escalão máximo de taxa de IRS subiu entre 2000 e 2011, de 40 para 46,5 por cento, mas os impostos sobre as empresas baixaram, revela um relatório, divulgado dia 1, pelo Eurostat.

O gabinete oficial de estatísticas da União Europeia sobre as «tendências de impostos» na UE revela que as taxas máximas de impostos sobre pessoas singulares baixaram em média 7,6 pontos percentuais entre 2000 e 2011 (de 44,7 para 37,1%), havendo apenas três excepcões: Reino Unido, Portugal e Suécia, onde ao longo dos últimos 11 anos se registaram subidas, respectivamente, de 10, 6,5 e 4,9 por cento.

Todavia, no que respeita ao escalão máximo de impostos sobre pessoas colectivas, ou empresas (IRC), Portugal acompanhou a tendência de descida registada na UE.

Em média, o escalão máximo de IRC caiu na Europa 8,7 pontos, de 31,9 por cento em 2000 para 23,2 em 2011, enquanto em Portugal caiu 6,2 pontos, de 35,2 para 29 por cento.

Em termos de receitas fiscais, o Eurostat assinala uma diminuição na UE de 39,3 por cento, em 2008, para 38,4 por cento do PIB, em 2009. Em Portugal esta receita baixou de 32,8 para 31 por cento.


Desemprego juvenil continua a subir

A taxa de desemprego em Portugal voltou a subir entre os jovens com menos de 25 anos, atingindo 28,1 por cento em Maio. Segundo dados do Eurostat, a percentagem de jovens portugueses desempregados aumentou de 27,9 por cento, em Abril, para 28,1 por cento, em Maio (27 por cento no mês homólogo), enquanto que nos 17 países da zona euro este indicador se manteve estabilizado nos 20 por cento, abaixo dos 21,2 por cento registados no mesmo mês de 2010.

Portugal é assim o quarto país europeu com taxa de desemprego juvenil mais elevada, abaixo da Itália (28,9%), Eslováquia (33,7%) e Espanha (44,4%). Já no que respeita ao desemprego feminino, o nosso País sobe ao terceiro lugar da tabela europeia, com uma taxa de 12,9 por cento, apenas inferior à Eslováquia (13,6%) e Espanha (21,7%).

Na zona euro, a taxa de desemprego manteve-se nos 9,9 por cento em Maio, inalterada face ao mês anterior, e inferior aos 10,2 por cento registados no período homólogo. A taxa de desemprego nos 27 países da União Europeia ficou nos 9,3 por cento, idêntica à de Abril (9,7 por cento em Maio de 2010). Em Portugal, a taxa de desemprego fixou-se nos 12,4 por cento, inalterada desde Dezembro de 2010.


Strauss-Kahn libertado

A justiça norte-americana decidiu, dia 1, libertar Dominique Strauss-Kahn da prisão domiciliária, mas manteve a acusação por crimes sexuais ao antigo director-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A decisão terá sido motivada por alegadas contradições no testemunho da vítima, revelou o New York Times, adiantando que a acusação de tentativa de violação está prestes a ser abandonada.



Resumo da Semana
Frases