Salários têm que ser pagos

A Europa-América, emblemática editora criada por Francisco Lyon de Castro, não paga os salários aos seus trabalhadores desde Maio. Em Agosto, foi recebida a terceira parte do ordenado desse mês e desde 2010 que os trabalhadores recebem os seus salários em tranches de 25 por cento.

Contactada pela imprensa, a administração da editora justificou os atrasos com as dívidas de diversas entidades, a começar pelo Estado (o maior devedor) e várias autarquias, mas o que é certo é que em todas as seis livrarias da Europa-América há salários em atraso, estando os seus trabalhadores a viver situações de carência económica.

Num requerimento apresentado no dia 22 pelo Grupo Parlamentar do PCP pretendia-se saber que medidas inspectivas foram tomadas e quais as que o Governo pretende tomar para garantir o pagamento dos salários a estes trabalhadores. No dia 20, os trabalhadores da empresa concentraram-se junto a uma das livrarias do grupo em sinal de protesto.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: