Não pode valer tudo
<i>Zon/TV</i> Cabo rouba nos salários

A Zon/TV Cabo, em conluio com o Governo, pretende roubar, durante seis meses, 35 euros nos salários mensais dos seus trabalhadores das lojas do Porto para pagar material que alegadamente falta nesses estabelecimentos. No recibo de Setembro esse roubo já se verificou.

No dia 1 de Setembro, antes da concretização desta ilegalidade, o PCP, alertado pelos trabalhadores, questionou o Governo através do seu Grupo Parlamentar sobre a então ainda ameaça de roubo nos salários dos trabalhadores das lojas com vínculo à empresa CRH, de aluguer de mão-de-obra. Na resposta do Ministério da Economia e Emprego, após acção inspectiva da Autoridade para as Condições de Trabalho, reconhece-se precisamente a pretensão da retirada ilegal de 35 euros nos salários, durante meio ano.

A constatação do facto não levou no entanto a qualquer acção concreta para impedir a ilegalidade, acusa o PCP (numa nota da Direcção da Organização Regional do Porto emitida no dia 20), considerando que assim o Governo é também cúmplice da repressão e ilegalidade que reina em muitos locais de trabalho.

Este exemplo, que sucede com trabalhadores com ligação à CRH, que tem «problemas também com outros trabalhadores colocados noutras empresas e que ainda este ano entrou em processo de insolvência» – evidencia também, para o PCP, a forma como este tipo de empresas é utilizada para «sugar direitos e tentar roubar direitos aos trabalhadores». Mas o facto de os trabalhadores em causa terem ligação à CRH não iliba de responsabilidades a ZON/TV Cabo, «a quem se impõe também que intervenha na reposição da legalidade», acrescentam os comunistas.

No comunicado, o PCP informa que interveio novamente na Assembleia de República exigindo que o Governo accione, com carácter de urgência, todos os mecanismos para a reposição dos 35 euros roubados no salário dos trabalhadores.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: