Intensa luta no comércio

Com «forte participação dos trabalhadores e muita aceitação dos clientes», terminaram as acções do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, no âmbito da semana de luta da CGTP-IN.

Num comunicado de dia 27, o CESP/CGTP-IN realçou a muito boa receptividade obtida nas acções no Intermarché de Guimarães e no Pingo Doce da Foz, no Porto.

No Intermarché de Ovar «o patrão chamou a GNR tentando impedir a acção», mas as forças da autoridade acabaram reconhecendo «a legalidade da mesma», que acabou por decorrer com «boa participação».

Em Coimbra, no Intermarché de Cantanhede, a GNR também foi chamada a intervir «mas o resultado foi o mesmo».

Em Lisboa, no Pingo Doce Olivais I, a adesão dos trabalhadores à acção foi total, tendo todos assinado o Caderno Reivindicativo sindical, entregue à gestão.

No Pingo Doce de Algés, 95 por cento dos trabalhadores firmaram o mesmo caderno reivindicativo.

Na Europa-América, «todos os trabalhadores participaram no protesto contra os salários em atraso», concentrando-se junto às instalações, onde obtiveram a solidariedade de uma delegação de trabalhadores da Bulhosa Livreiros, também com salários por receber. Ao impedir que os participantes se concentrassem diante da entrada das instalações, com um «exagerado contingente», a acção da PSP «acabou por não prestigiar a instituição».

Na Guarda, «o responsável da loja Intermarché ameaçou os activistas sindicais de que cortava os fios da aparelhagem sonora», tentando silenciar o protesto.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: