Mais e melhor Acção Social Escolar
Governo corta milhões de euros no Ensino Superior
Estudantes defendem Ensino público

Mais de cinco mil estudantes, vindos de vários pontos do País, participaram, no dia 29, em Lisboa, numa manifestação para exigir mais financiamento para o Ensino Superior.

Image 9227

Acompanhados por um forte dispositivo policial, entre o Marquês de Pombal e a Assembleia da República, onde se discutia o Orçamento do Estado para 2012, os estudantes reivindicaram mais e melhor Acção Social Escolar, manifestaram-se contra os cortes nas bolsas e nos apoios indirectos e repudiaram o fim do desconto do passe sub-23.

Numa saudação à luta dos estudantes, o Secretariado da Direcção Nacional da JCP alertou para o «caminho de cada vez maior elitização e privatização» do Ensino, que afasta cada vez mais estudantes «da possibilidade de ter formação superior». «Consideramos que o Ensino Superior é estratégico para o desenvolvimento económico e social do País, e que o Governo não tem legitimidade para dizer que estas medidas são inevitáveis por causa da crise, quando os bancos e outros grupos económicos continuam a ter lucros estrondosos», referem os jovens comunistas, que apelam a que os estudantes continuem a sua luta, «com a convicção de que com a luta organizada conseguirão alcançar vitórias e salvaguardar os seus direitos».

A JCP, por seu lado, «continuará, como sempre, a trabalhar pela defesa do Ensino Superior público, gratuito, democrático e de qualidade para todos, o que só é possível com um Ensino sem propinas, Bolonha e fundações».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: