O projecto comunista é mais actual e urgente que nunca
Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários conclui
O socialismo é o futuro!

78 partidos de 59 países de todos os continentes participaram, entre 9 e 11 de Dezembro, em Atenas, no 13.º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários. No final, foi aprovada uma declaração onde se afirma que o fortalecimento da luta por rupturas antimonopolistas e anticapitalistas, a superação revolucionária do capitalismo e a construção do socialismo são a alternativa real ao sistema em crise profunda.

No documento adoptado pelos participantes no Encontro (que o Avante! publica na íntegra na próxima edição), os Partidos Comunistas e Operários (PCO’s) partem da constatação do rápido aprofundamento da crise capitalista e da intensificação da ofensiva multifacetada do imperialismo para apontarem a necessidade do fortalecimento da luta de resistência aos ataques aos direitos sociais, laborais, democráticos e à soberania.

A conquista de rupturas anticapitalistas e antimonopolistas e a superação revolucionária do capitalismo é a solução real face às contradições agudas em que se encontra mergulhado o sistema explorador e depredador, insistiram. Só o socialismo cria as condições para erradicar as guerras, o desemprego, a fome, a miséria, o analfabetismo, a insegurança em que sobrevivem milhões de seres humanos, e, simultaneamente, criar condições para travar a destruição do meio ambiente e responder às necessidades contemporâneas dos trabalhadores.

Na declaração final, os PCO’s saudam ainda as muitas lutas empreendidas pelos trabalhadores e pelos povos de todo o mundo, e sublinham a importância da solidariedade internacionalista e da cooperação dos comunistas.

 

Acção comum e convergente

 

Nos três dias em que decorreram os trabalhos – realizados sob o lema «o socialismo é o futuro. A situação internacional e a experiência dos comunistas 20 anos após a contra-revolução. As tarefas para o desenvolvimento da luta de classes nas condições da crise do capitalismo, das guerras imperialistas, das actuais lutas e levantamentos populares pelos direitos dos trabalhadores e dos povos. O fortalecimento do internacionalismo proletário e da frente anti-imperialista, pela superação revolucionária do capitalismo e a construção do socialismo» -, os PCO’s definiram sete eixos de acção comum.

No centro da acção convergente estarão o internacionalismo proletário e o apoio activo às lutas dos trabalhadores e dos povos; a luta contra a agressividade do imperialismo; a solidariedade para com os povos vitimas de agressões, ingerência e ocupação; o combate ao anticomunismo; a denúncia do bloqueio a Cuba e a defesa da libertação dos Cinco patriotas cubanos presos nos Estados Unidos; a cooperação no apoio às organizações internacionais anti-imperialistas e a acção em defesa do meio ambiente e contra o saque aos recursos naturais dos povos.

O Encontro Internacional apontou ainda o Líbano e o Partido Comunista Libanês como sede e anfitrião, respectivamente, da sua 14.ª edição, a qual se vai realizar em 2012.

Os participantes mandataram o Grupo de Trabalho – reconduzido nas suas funções e composição, e que o PCP integra – para a preparação do 14.º Encontro Internacional nos seus diversos aspectos.

Recorde-se que o primeiro Encontro Internacional de PCO’s foi realizado na Grécia em 1998. Nos últimos cinco anos, a reunião percorreu vários continentes, tendo tido lugar em Portugal (2006 - recebido pelo PCP), na Bielorrussia (2007 – recebido pelo PC da Bielorrusia), no Brasil (2008 – recebido pelo PC do Brasil), na India (2009 – Recebido pelo PC da Índia – marxista e pelo PC da Índia) e na África do Sul (recebido pelo PC sul-africano).

Este 13.º Encontro, levado a cabo na capital da Grécia, foi um dos mais participados de sempre e abordou, no seu decurso, a adesão de outros partidos comunistas e operários.

No último dia, uma delegação de participantes do Encontro visitou trabalhadores metalúrgicos em greve há dois meses, dando assim expressão simbólica à solidariedade dos comunistas de todo o mundo para com a intensa luta dos trabalhadores e do povo gregos.

 

PCP afirma actualidade
do projecto comunista

 

Intervindo no segundo dia de trabalhos, o Partido Comunista Português enfatizou a solidariedade dos comunistas portugueses para com a luta dos comunistas e dos trabalhadores da Grécia e de todo o mundo, abordou aspectos fundamentais da situação em Portugal e da crise na União Europeia - que coloca em causa o seu projecto e subsistência -, e denunciou a perigosa fuga para a frente em curso, expressa nas recentes conclusões do Conselho Europeu.

A crise do capitalismo, que se aprofunda num Mundo em mudança marcado por uma violenta ofensiva do imperialismo; a luta dos trabalhadores e dos povos, que se intensifica de forma geral; o objectivo do socialismo e do projecto comunista, mais actual, necessário e urgente do que nunca; a necessidade do fortalecimento do movimento comunista e revolucionário internacional e da frente anti-imperialista, e, por último, a importância do processo dos Encontros Internacionais de Partidos Comunistas e Operários, para o qual o PCP tem dado e continuará a dar um importante contributo, foram igualmente salientados.

Durante a sua estadia em Atenas, a delegação do PCP, integrada por Manuela Bernardino, do Secretariado do CC, e por Ângelo Alves, da Comissão Política, realizou numerosos encontros bilaterais, entre os quais se destaca o realizado com a secretária-geral do Partido Comunista da Grécia, Aleka Papariga, com Giorgos Marinos, membro da Comissão Política, e com Nikos Seretakis, da Secção Internacional do PCG.

 

Lista de partidos participantes

 

Partido Comunista Sul-Africano, Partido Comunista da Albânia, Partido Comunista Alemão (DKP), PADS da Argélia, Partido Comunista da Austrália, Partido Comunista do Azerbaijão, Partido Comunista do Bangladesh, Partido dos Trabalhadores do Bangladesh, Partido do Trabalho da Bélgica, Partido Comunista do Brasil, Partido Comunista Brasileiro, Partido Comunista Britânico, Novo Partido Comunista Britânico, Partido Comunista da Bulgária, Partido dos Comunistas Búlgaros, Partido Comunista do Canadá, Partido do Trabalho da Coreia, Partido Socialista dos Trabalhadores da Croácia, Partido Comunista de Cuba, AKEL de Chipre, Partido Comunista da Boémia e Morávia, Partido Comunista na Dinamarca, Partido Comunista Dinamarquês, Partido Comunista do Egipto, Partido Comunista de Espanha, Partido Comunista dos Povos de Espanha, Partido dos Comunistas da Catalunha, Partido Comunista dos EUA, Partido Comunista da Finlândia, Partido Comunista Francês, Partido Comunista da Macedónia, Partido Comunista Unificado da Geórgia, Partido Comunista da Grécia, Partido Progressista do Povo da Guiana, Novo Partido Comunista da Holanda, Partido Comunista dos Trabalhadores Húngaros, Partido Comunista da Índia, Partido Comunista da Índia (Marxista), Partido do Povo do Irão, Partido Comunista da Irlanda, Partido dos Trabalhadores da Irlanda, Partido dos Comunistas Italianos, Partido da Refundação Comunista Italiana, Partido Comunista Jordano, Novo Partido Comunista da Jugoslávia, Partido Popular Revolucionário do Laos, Partido Socialista da Letónia, Partido Comunista Libanês, Frente Popular Socialista da Lituânia, Partido Comunista do Luxemburgo, Partido Comunista de Malta, Partido Comunista México, Partido Comunista da Noruega, Partido Comunista do Paquistão, Partido Comunista Palestiniano, Partido do Povo da Palestina, Partido Comunista do Paraguai, Partido Comunista Peruano, Partido Comunista do Peru (Pátria Roja), Partido Comunista da Polónia, Partido Comunista Português, Partido Comunista da Roménia, Partido Comunista da Federação Russa, Partido Comunista da União Soviética, Partido Comunista Operário Russo – Partido dos Comunistas Revolucionários, União dos Partidos Comunistas – CPSU da Rússia, Partido dos Comunistas da Sérvia, Partido Comunista do Sri-Lanka, Partido Comunista Sudanês, Partido Comunista da Suécia, Partido Comunista Sírio, Partido Comunista Sírio (Unido), Partido Comunista da Turquia, Partido do Trabalho da Turquia (EMEP), União dos Comunistas da Ucrânia, Partido Comunista da Ucrânia, Partido Comunista da Venezuela, Partido Comunista do Vietname.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: