Breves
<i>Bonvida</i>

Há mais de cem dias em vigília diante da fábrica de cerâmica para impedir o seu encerramento definitivo, os 168 trabalhadores da Bonvida, na Batalha, decidiram voltar ontem ao Ministério da Economia, em Lisboa, para reclamarem a viabilização da empresa, depois de lhes ter sido anunciado haver vários investidores interessados em a manter. À passagem do centésimo dia de vigília, os trabalhadores sensibilizaram a população, no mercado da Batalha, com uma distribuição de folhetos inserida na «Semana de protesto e acção» da CGTP-IN.


<i>Acral</i>

Em greve por 24 horas, pelo pagamento atempado dos salários estiveram, dia 16, os 50 trabalhadores da Rações Acral, no Casal da Coruja, Torres Vedras. Também reclamaram o pagamento dos salários de Dezembro e o subsídio de Natal, informou o Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal, da CGTP-IN.


<i>Janz Fluídos</i>

Uma segunda greve com concentração à porta da Janz Fluídos, em Lisboa, foi cumprida, dia 14, pelos 158 trabalhadores que decidiram prosseguir com a luta por aumentos salariais, informou o SITE CSRA. Como a empresa vai encerrar hoje para férias, ficou marcado novo plenário para 14 de Janeiro, onde os trabalhadores farão um balanço da luta e decidirão novas acções. A administração quer congelar salários pelo segundo ano consecutivo. A 14 de Novembro, os trabalhadores foram surpreendidos com esta decisão, depois de lhes terem sido dadas garantias, em Setembro, de que haveria actualizações salariais em Outubro, informou o sindicato da Fiequimetal/CGTP-IN.


<i>Thyssen </i>

Plenários na Thyssenkrupp Elevadores foram convocados pelo Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas. Em Alvalade, no dia 6, em Massamá, no dia 13, em Santarém, no dia 15, e em Setúbal, ontem, os trabalhadores iriam decidir o que fazer por actualizações salariais e tomar posição sobre a reestruturação da assistência técnica e call-center, bem como sobre segurança e saúde no trabalho.