Aconteu
Centenário de Redol evocado em Vila Franca de Xira

Image 9453

O centenário do nascimento do escritor Alves Redol, um dos mais importantes nomes do neo-realismo português, foi assinalado, dia 29, com uma sessão evocativa, no Museu do Neo-Realismo em Vila Franca de Xira.

Ao longo de 2011, a efeméride foi celebrada pelo Museu com exposições, exibição de filmes e leituras encenadas, e irá prolongar-se durante este mês.

No dia em que se completaram cem anos do nascimento do escritor, o Ateneu Artístico Vilafranquense realizou uma arruada pela cidade até à estátua de Alves Redol, onde actuou a Banda do Ateneu.

As comemorações prosseguem com a entrega do Prémio Literário Alves Redol – Romance e Conto, em data ainda a anunciar, e a realização, de 19 a 21 de Janeiro, do Congresso Internacional «Centenário de Alves Redol», organizado em conjunto com o Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Também o Museu do Douro assinala a data com uma exposição dedicada ao escritor, que viveu alguns anos na região do Douro, onde escreveu quatro livros dedicados às suas gentes: "Porto Manso" (1946) e a trilogia do "Ciclo Porto Wine" (1949-1953).

No início de Dezembro, o PCP realizou uma cerimónia evocativa de Alves Redol, recordando a sua actividade enquanto resistente antifascista e militante comunista, preso por duas vezes pela PIDE.


Governo deixa <i>Estaleiros</i> sem encomendas

Image 9454

Os Estaleiros de Viana do Castelo (ENVC) estão sem encomendas por culpa do Governo que congelou os programas de equipamento da Marinha portuguesa.

Segundo o presidente da EMPORDEF, holding do Estado para a Defesa, que tutela os ENVC, o Orçamento do Estado para 2012 não prevê verbas para os programas de equipamento da Armada, prejudicando seriamente os Estaleiros de Viana.

Vicente Ferreira, em declarações citadas pela Lusa (29.12), revelou que a carteira de encomendas ficou assim reduzida a 30 por cento, resumindo-se aos dois asfalteiros encomendados pela Petrolífera da Venezuela, num valor de 128 milhões de euros.

Já as cinco lanchas de fiscalização costeira e o navio polivalente logístico, destinados à Marinha portuguesa, que representam quase 400 milhões de euros, ficaram congelados devido às restrições orçamentais.


Souto de Moura distinguindo no <i>El País</i>

Image 9455

O arquitecto Eduardo Souto de Moura, Prémio Pritzker 2011, foi considerado uma das 100 personalidades do ano pelo jornal espanhol El País. Na sua edição de 31, o diário destaca 100 homens e mulheres iberoamericanos que marcaram 2011, entre os quais Souto de Moura é o único português a figurar, sendo descrito como o «ponta de lança da terceira geração de arquitectos portugueses modernos».

O El País considera que a Casa das Histórias Paula Rego é o mais experimental dos trabalhos de Souto de Moura, referenciando ainda o mercado e o estádio municipais de Braga.

Nascido no Porto, a 25 de Julho de 1952, Eduardo Souto de Moura colaborou com Álvaro Siza Vieira entre 1974 e 1979 e tem vindo a leccionar nalgumas das mais conceituadas escolas de arquitectura do mundo.


Argentina condena ditador

O último ditador da Argentina, o general Reynaldo Bignone, de 83 anos, foi condenado pela terceira vez, no dia 29, por crimes cometidos numa prisão secreta que funcionou num hospital público durante o regime militar.

O Tribunal Federal de Buenos Aires sentenciou o arguido com 15 anos de prisão pela privação ilegal da liberdade de pelo menos 21 pessoas, das quais seis fazem parte de uma lista de 30 mil desaparecidos durante a ditadura militar (1974-1983). Esta pena vem somar-se a duas outras sentenças de prisão perpétua, decididas contra Bignone por crimes cometidos durante o seu mandato (1982-83).

Além de Bignone, foram também condenados o ex-brigadeiro Hipólito Rafael Mariani, com oito anos de prisão, e o civil Luis Muiña, com 13 anos de prisão, igualmente envolvidos nos crimes perpetrados no Hospital Posadas, situado nas redondezas da capital argentina.


China anuncia programa espacial

Image 9456

A imprensa chinesa divulgou, dia 30, o programa espacial do governo para os próximos cinco anos, que inclui uma viagem tripulada à Lua, ainda sem data marcada.

Depois de em 2008 ter realizado o seu primeiro voo espacial tripulado, a China realizou duas outras missões similares, a última das quais em Setembro de 2008. Em 2016 deverá ficar concluído o laboratório espacial, para o qual serão enviados astronautas que cuidarão da construção de uma estação espacial até 2020.

Para tanto os cientistas chineses contam com uma nova geração de foguetões, «Longa Marcha 5», que utilizam um «carburante não tóxico nem poluente». As autoridades chinesas afirmam que aparelhos serão também capazes de colocar em órbita pesadas cargas até 25 toneladas.



Resumo da Semana
Frases