Breves
EUA reduzem efectivos na Europa

Cerca de 11 mil soldados norte-americanos estacionados na Alemanha e na Itália regressarão ao seu país em consequência das restrições orçamentais e das novas prioridades estratégicas, anunciou oficialmente, dia 16, o Pentágono.

Duas brigadas pesadas de combate, com 3850 elementos cada, sairão da Alemanha entre 2013 e 2014, sendo preteridas a duas outras brigadas mais ligeiras e móveis que permanecerão no velho continente. Na Itália, as reduções atingem uma unidade aerotransportada. Actualmente, os EUA dispõem na Europa de cerca de 81 mil militares.


Wuff demite-se da presidência da Alemanha

Christian Wulff resignou, dia 17, ao cargo de presidente da Alemanha, após se ver implicado em vários casos de que terá retirado benefícios pessoais. Menos de dois anos depois da demissão de Horst Köhler, este por ter declarado que as forças alemãs estavam no Afeganistão a defender os interesses da Alemanha, a saída de Wulff é mais um revés para a chanceler Angela Merkel, que havia apoiado pessoalmente a sua candidatura em 2010.


Trabalhar e poupar mais para a velhice

Trabalhar mais anos e fazer mais poupanças é a principal proposta que ressalta do Livro Branco sobre pensões adequadas, seguras e sustentáveis, apresentado dia 16 pela Comissão Europeia. O executivo de Bruxelas alega que as pensões de reforma são a principal fonte de rendimento para cerca de um quarto da população da UE e que a população activa começará a diminuir já a partir do próximo ano. E como «as pensões estão a exercer maior pressão sobre os orçamentos nacionais, agravada pela crise económica e financeira», a solução é as pessoas trabalharem mais tempo e aumentarem as suas poupanças, pois se os Estados não conseguirem «garantir pensões de reforma dignas, no momento presente e no futuro, milhões de pessoas viverão em situação de pobreza na velhice».


Islândia recupera economia

Depois da bancarrota em 2008, a Islândia terminou o ano de 2011 com um crescimento de três por cento, reduzindo o défice primário que ultrapassava os 6,5 por cento em 2009 para 0,5 por cento no último ano.

Segundo a agência de notação Fitch, que elevou, dia 17, para BBB- a classificação da dívida de longo prazo do país, a dívida bruta islandesa continua a representar 100 por cento do PIB, no entanto a dívida líquida baixou para 65 por cento do PIB, devido aos depósitos existentes no Banco Central da Islândia. Apesar dos resultados positivos, a taxa de desemprego mantêm-se nos dez por cento, sendo o dobro para os jovens, quando antes da crise rondava um por cento.


Cinco anos para Berlusconi

A procuradoria de Milão exigiu uma pena de prisão de cinco anos contra Sílvio Berlusconi, acusado de corrupção de testemunhas no processo Mills. O antigo chefe do governo italiano é acusado de ter pago 600 mil dólares ao seu advogado David Mills para obter falsos testemunhos em seu favor em vários processos que remontam aos anos 90.

A acusação evoca, entre outras provas, uma sentença do tribunal de recurso, a mais alta instância judicial italiana, emitida em 2010, na qual dá como provado «um caso de corrupção gravíssimo», no processo paralelo contra Mills, entretanto absolvido por prescrição dos crimes.

Não obstante o procurador ter «a certeza, para além de qualquer dúvida razoável» da culpabilidade de Berlusconi, o batalhão de advogados que protege o réu recorre a todas as manobras para que também este processo atinja o prazo de prescrição.


Comissão bloqueia conta da Grécia

O comissário europeu dos Assuntos Económicos revelou, na terça-feira, 21, que os termos do novo resgate à Grécia serão salvaguardados com a criação de uma conta bloqueada com dinheiro suficiente para pagar a dívida do país por três meses.

O presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, anunciou que o acordo alcançado contempla ainda um perdão parcial da dívida grega, para 120,5 por cento do PIB até 2020 (contra os 160% actuais).