«Os bónus pagos em 2009 pela Goldman Sachs equivaleram ao rendimento de 224 milhões das pessoas mais pobres».

(Branko Milanovic, economista do Banco Mundial
Visão
, 16.02.12)

 

«A riqueza dos 400 americanos mais prósperos equivale à soma do rendimento de 640 milhões dos mais pobres cidadãos do mundo, mais ou menos a África Subsariana».

(Idem, ibidem)

 

«Na China, apesar de ter 300 milhões de pobres, mais de metade da população [mais de 600 milhões] já vive, em média, melhor do que os americanos mais pobres. E o mesmo sucede no Brasil».

(Idem, ibidem)

 

«Barack Obama transformou-se na única grande referência mundial da esquerda democrática».

(Francisco Assis,
Público
, 16.02.12)

 

«O gabinete de Miguel Relvas gastou 12 mil euros na edição de um livro do qual foram feitos, segundo as notícias, 100 exemplares (120 euros cada). Chama-se “Compromisso para uma Nação Forte”».

(Fernando Madrinha,
Expresso
, 18.02.12)

 

«Eis um bom exemplo de poupança nas gorduras do Estado».

(Idem, ibidem)

 

«'Saco azul' paga ministros».

(Manchete do Correio da Manhã, 18.02.12)

 

«Cartão de crédito e fundo de maneio eram usados por ministros e secretários de Estado de Sócrates para despesas sem orçamentação».

(Ibidem)

 

«Na semana a seguir ao Terreiro do Paço se encher de povo, aterrou mais uma equipa de funcionários da chamada troika (…) para tomar conhecimento da situação portuguesa».

(São José Almeida,
Público
, 18.02.12)

 

«Isto é, sem disfarçar que o poder político da União Europeia é exercido pelo poder financeiro e que os alegados dirigentes políticos dos estados-membro são uns fantoches (…) aterra de novo em Lisboa a equipa dos fiscais das contas, dos “cobradores de fraque”».

(Idem, ibidem)

 

«Passos vaiado em Gouveia 'desafia' Cavaco a sair à rua».

(Título do Diário de Notícias, 20.02.12)

 

«Pedro Passos Coelho foi ontem vaiado em Gouveia, somando-se nas últimas semanas os sinais públicos de descontentamento dos portugueses perante as medidas de austeridade. Na sua manifestação de estreia enquanto líder da CGTP, Arménio Carlos encheu o Terreiro do Paço».

(Bruno Proença,
Diário Económico
, 20.02.12)

 

«A contestação social nas ruas vai continuar a subir de tom».

(Idem, ibidem)