Aconteu
«Diz-lhes que não falarei...» estreou no Porto

Image 10220

Depois da estreia em Guimarães Capital Europeia da Cultura, a peça «Diz-lhes que não falarei nem que me matem» foi apresentada no Porto, dia 12, no Teatro Carlos Alberto, onde estará em cena até ao próximo domingo, 22.

Da autoria de Marta Freitas, que também assina a encenação, o espectáculo baseia-se na experiência do seu tio-avô, Carlos Costa, dirigente histórico do PCP, que passou 15 anos nas prisões fascistas e participou, juntamente com Álvaro Cunhal e mais oito camaradas, na célebre fuga do forte de Peniche.

Ainda no Porto, promovido pelo Teatro Nacional São João, realizou-se, no domingo, 15, um debate sobre a experiência histórica e política de resistência e clandestinidade nos anos da ditadura fascista, que contou com a participação de Carlos Costa, Margarida Tengarrinha, destacados militantes comunistas e resistentes antifascistas, Cristina Nogueira, autora de Vidas na Clandestinidade, e do historiador Manuel Loff. A sessão foi moderada por Silvestre Lacerda, director da Direcção-Geral de Arquivos e do Arquivo Nacional da Torre do Tombo.


Ben Bella, um símbolo da libertação da Argélia

Image 10221

Ahmed Ben Bella, um dos líderes mais conhecidos da guerra pela independência da Argélia do jugo francês, e primeiro presidente da República (1962-1965), faleceu dia 11, aos 96 anos, na sua residência em Argel.

Sem nunca ter aderido ao marxismo, Ben Bella introduziu políticas progressistas de orientação socialista, designadamente com os programas de reforma agrária, destacando-se, no plano internacional, como um dos promotores do Movimento dos Não-Alinhados.

Apesar das suas posições claramente patrióticas e anti-imperialistas, tomou decisões contraditórias no plano interno, nomeadamente a interdição do Partido Comunista Argelino, em 1962, esquecendo a contribuição abnegada de muitos comunistas que sacrificaram a própria vida na luta comum contra o colonialismo.

Mais tarde, Bella viria também a ser vítima de disputas internas, sendo destituído pelo golpe de Estado de 19 de Junho de 1965, dirigido pelo então ministro da Defesa, Houari Boumedienne. Permaneceu em prisão domiciliária até ser libertado, em Outubro de 1980, por decisão do novo presidente Chadli Bendjedid.


<i>Capitães da Areia</i> exibido em Portugal

O filme Capitães da Areia, adaptado do célebre romance homónimo de Jorge Amado, foi exibido, domingo, 15, em antestreia nacional, no São Mamede, Centro de Artes e Espectáculos de Guimarães, no âmbito da programação da capital europeia da cultura.

A longa-metragem foi realizada pela neta do escritor, Cecília Amado, e estreia-se no ano em se assinala o centenário do nascimento do intelectual comunista brasileiro.

Em entrevista à agência Lusa, a realizadora explicou que «foi escolhida por este livro» e não o contrário. «A força da história, a oposição entre o abandono e a liberdade e o facto de ainda hoje, dezenas de anos depois do meu avô ter escrito este livro, existirem "capitães da areia" levou-me a querer fazer este filme».

Com banda sonora da autoria de Carlinhos Brown, o filme estreou em Outubro no Brasil e foi premiado no Festival Internacional de Cine de Punta del Este, no Uruguai, com o Prémio do Público.


Espanha quer criminalizar protestos

O ministro do Interior, Jorge Fernández Díaz, apresentou, dia 11, no parlamento, algumas das inovações que pretende introduzir na legislação para reprimir e criminalizar os protestos nas ruas.

O governante anunciou que serão considerados como «crime de integração em organização criminal» actos que alterem «gravemente a ordem pública» e a convocação de manifestações violentas através de qualquer meio, como a Internet e as redes sociais.

«Também pretendemos incluir como delitos de desordem pública aqueles em que haja invasão de estabelecimentos públicos ou impedimento no acesso aos mesmos», acrescentando aos danos por alteração da ordem pública os que «se produzam por interrupção ou perturbação de qualquer serviço público», afirmou o ministro.

Além disso, o governo espanhol quer classificar «como delito de atentado contra a autoridade a resistência activa ou passiva perante as forças de segurança».


Consumo de combustíveis continua a baixar

Com excepção do GPL Auto, que apresentou um crescimento no consumo de 3,8 por cento, as vendas dos restantes combustíveis rodoviários continuaram a baixar no mês de Janeiro, segundo as estatísticas da Direcção Geral de Energia e Geologia, divulgadas dia 11.

A quebra global cifrou-se em 6,7 por cento, em comparação com o mesmo período de 2011. No primeiro mês do ano, o preço da gasolina 95 encareceu 6,7 por cento e o do gasóleo aumentou 3,2 por cento, em relação ao período homólogo.


Benfica conquista a Taça da Liga

Image 10222

O Benfica voltou a conquistar a Taça da Liga, pelo quarto ano consecutivo, ao vencer, no sábado, 14, o Gil Vicente por 2-1. O tento da vitória surgiu nos últimos dez minutos do jogo, sendo marcado pelo argentino Saviola.

O marcador foi inaugurado por Rodrigo Galo, mas a equipa de Barcelos ainda conseguiu empatar o jogo com um remate de Zé Luís, aos 79 minutos. Porém, a esperança foi de pouca dura, pois não tardou o golo do adversário que decidiu a partida.



Resumo da Semana
Frases