Aconteu
Cuidados de saúde perdem qualidade

Portugal caiu quatro posições, em relação a 2009, na lista da Health Consumer Powerhouse, organização que avaliou a qualidade dos cuidados de saúde em 34 países europeus.

O estudo, divulgado dia 15 em Bruxelas, atribuiu 589 pontos em mil possíveis, no conjunto de 42 indicadores de desempenho, colocando o Serviço Nacional de Saúde com a sétima classificação mais baixa da União Europeia.

Com resultados piores surgem apenas a Lituânia, Polónia, Hungria, Albânia, Macedónia, Letónia, Roménia, Bulgária e Sérvia, país que se encontra na cauda da tabela, com 451 pontos.

No extremo oposto, a Holanda lidera com 872 pontos, seguida da Dinamarca (822), Islândia (799), Luxemburgo (791) e Bélgica (783).

O inquérito anual afirma que em Portugal «as esperas são demasiado longas e os resultados medíocres», assinalando pela positiva que «o sistema é suficientemente inclusivo e existe um bom acesso a operações cirúrgicas renais e a cataratas».


Salário mínimo alastra

A percentagem de trabalhadores portugueses que ganham o Salário Mínimo Nacional (SMN) quase duplicou nos últimos quatro anos, revela um documento divulgado, dia 15, pelo Ministério da Economia aos parceiros sociais.

«Constata-se que nos últimos quatro anos, tem vindo a aumentar significativamente a percentagem destes trabalhadores», reconhece o documento do Governo, especificando que esta remuneração abrangia 10,5 por cento da população empregada em 2010, contra apenas seis por cento em 2007.

O mesmo texto indica ainda que, entre 2003 e 2006, se verificou a tendência inversa, fazendo a percentagem destes trabalhadores baixar dos 6,2 por cento para 4,5 por cento.

A maioria das pessoas que recebe o SMN trabalha no imobiliário (15,5 por cento), no alojamento e restauração (16,4 por cento) e noutras actividades de serviços (20,5 por cento). As mulheres são quem mais ganha o SMN (14,4 por cento), contra 7,5 por cento de homens. Nos têxteis e vestuário 25,1 por cento das mulheres auferem esta remuneração.


Livro de Saramago adaptado ao cinema

O romance de José Saramago, O Homem Duplicado, foi adaptado ao cinema e já começou anteontem, terça-feira, a ser rodado em Toronto, no Canadá, pelo realizador canadiano Denis Villeneuve.

A película terá como título An Enemy (Um Inimigo) e é protagonizada pelo actor Jake Gyllenhaal, contando ainda no elenco com Isabella Rossellini, Melanie Laurent e Sarah Gadon.

No romance, publicado em 2002, Tertuliano Máximo Afonso, um professor de História, descobre, ao ver um filme, que tem um sósia e parte à descoberta desse outro duplicado seu.

No filme, com argumento de Javier Gullón, o professor de História chama-se Adam, vive com a namorada (Melanie Laurent) e um dia descobre que existe outro igual a ele, um duplicado, casado com outra mulher (Sarah Gadon).

 


O alfaiate de Mirandela

Image 10493

A vida exemplar de Joaquim Natal Figueiredo (1919-1986), destemido lutador comunista várias vezes preso pela PIDE, é lembrada numa interessante monografia do historiador Albano Augusto Veiga Viseu, recentemente editada pela Sinapis Editores.

O livro fala-nos do percurso profissional e político de Joaquim Natal, com base numa alargada investigação documental, em entrevistas e ainda com o contributo de um conjunto de testemunhos de familiares e personalidades que conheceram de perto o alfaiate de Mirandela.

Não falta o recorte do Avante!, que noticia o falecimento do activista político e exímio alfaiate, que, sem nunca descurar a perfeição da sua arte, havia transformado a oficina em local de venda da imprensa do Partido e de livros, ponto de encontro dos camaradas, onde muitos iam pagar as quotas de militante.


Académica vence a Taça

Image 10494

A Académica venceu, no domingo, a Taça de Portugal frente ao Sporting, por 1-0. Tendo já derrotado o FC Porto nesta competição, o clube de Coimbra conquistou finalmente o ambicionado troféu, feito que não realizava desde 1939, quando ganhou a primeira edição do torneio.


<i>Soiuz</i> acopla à estação espacial

Image 10495

A nave russa Soyuz TMA-04M, com três tripulantes a bordo, acoplou com êxito, dia 17, à Estação Espacial Internacional. A abordagem foi feita a 399 quilómetros da Terra, distância que constitui um recorde numa manobra idêntica.

A tripulação, lançada na véspera em território russo, integra os astronautas russos Guenadi Padalka e Serguei Revin, e o porto-riquense a trabalhar para a NASA, Joe Acabá.

Os três astronautas foram recebidos pelos seus companheiros residentes na estação internacional: o russo Oleg Kononenko, o holandês André Kuipers e o norte-americano Donald Pettit.



Resumo da Semana
Frases