Aconteu
Desempregados inscritos aumentam 20 por cento

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego em Maio subiu 20,8 por cento face ao mesmo mês do ano passado, segundo dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), divulgados dia 12.

Assim, no final do mês passado encontravam-se inscritos 641 222 desempregados, representando 81,7 por cento dos 785 260 pedidos de emprego. O IEFP salienta que «foi no segmento jovem que se verificou a maior subida do desemprego em termos homólogos (28,4 por cento)», tendo o número de inscritos com menos de 25 anos passado de 61 425, em Maio de 2011, para 78 888, no mês passado, ou seja, 12,3 por cento do total.

Em termos de escolaridade «observou-se uma subida do desemprego em todos os níveis», porém, a maior variação percentual verificou-se nos que possuem o Ensino Superior (35,5%), seguindo-se os que concluíram o Ensino Secundário (33,9%).


Racionamento chega à Saúde

O Observatório Português dos Sistemas de Saúde alertou, dia 14, há «indícios» de que podem existir «situações de racionamento» nos serviços de saúde.

No seu último relatório, intitulado «Crise&Saúde – um país em sofrimento», o observatório explica que o «racionamento implícito (…) não decorre de instruções ou de decisões explícitas para limitar a prestação de cuidados de saúde necessários», sendo sim «consequência de um clima de intensa contenção de gastos, por parte de decisores pressionados para limitar despesas».

Os autores afirmam que «não faltam relatos de que isto esteja de facto a acontecer», dando como exemplo o caso da fisioterapia, especialidade em que «há doentes não isentos que, por carência económica, abandonam os tratamentos aos primeiros sinais de melhoria».


Faleceu Manuel Tainha

Image 10703

O arquitecto Manuel Tainha faleceu, na segunda-feira, 18, em Lisboa, aos 90 anos de idade, deixando várias obras de reconhecido valor, algumas das quais premiadas com importantes galardões nacionais e internacionais. Entre estes destacam-se o Prémio Valmor e Municipal de Arquitectura (1991), o Prémio Nacional de Arquitectura (1993) e o Prémio Jean Tschumi (2002), da União Internacional dos Arquitectos.

Manuel Tainha dedicou parte da sua vida ao ensino da arquitectura em várias universidades, sendo ainda autor de alguns dos mais importantes textos sobre a arquitectura portuguesa dos últimos 50 anos.


<i>Maior é o Povo</i> <br>de Filipe Chinita

Image 10704

Maior é o Povo é um poema de Filipe Chinita dedicado ao povo de Campo Maior. Escrito há 33 anos, e agora editado pela Pagina a Página, a obra descreve os campomaiorenses e a vila nos anos que se seguiram à Revolução de 1974, época em que o autor, enquanto funcionário do PCP, acompanhou as lutas pela Reforma Agrária no distrito de Portalegre.

«Tal como em Gente Povo Todo o Dia, primeiro livro publicado pelo autor», recorda Maria do Céu Pires no posfácio, «ondula neste texto a mesma bandeira, a que da condição de servidão se torna resistência e edifica a liberdade do humano».


Um contributo para o marxismo<br>de Sérgio Ribeiro

Image 10705

O Contributo de Marx para o Marxismo é o título do livro recentemente editado por Sérgio Ribeiro (edição de autor, com capa de José Santa-Bárbara), que nos fala da importância da teoria do grande filósofo e revolucionário alemão.

O texto, preparado para o Congresso «Marx em Maio», expõe, de forma sintética e acessível, os principais conceitos desenvolvidos em O Capital obra que é qualificada como «um manual» e o seu autor como «o nosso profeta».

Salientando que «o marxismo não foi conversa acabada para Marx» e «há que o continuar, para que ele permaneça como guia de acção», Sérgio Ribeiro lembra que a base teórica para «se ser comunista» assenta no Manifesto e reforça-se «no que Marx e Engels continuaram a escrever (…) e no que Lénine levou à prática, como Partido e como Estado».


China realiza acoplagem espacial

Image 10706

A China iniciou, no sábado, 16, uma nova etapa do seu programa espacial, lançando a nave Shenzhou-9 com três astronautas a bordo, entre os quais está Liu Yang, a primeira chinesa a entrar na galeria das mulheres astronautas, inaugurada pela soviética Valentina Terechkova, em 1963.

A nave, lançada da base de Jiuquan, no Noroeste da China, conseguiu, na segunda-feira, 18, acoplar com o módulo Tiangong-1, colocado em órbita em Setembro passado, para servir de base à construção de uma estação espacial permanente, que deverá estar operacional em 2020.

«Nem o céu nem o mar são o limite», escreveu o jornal China Daily, associando o lançamento à proeza alcançada na véspera pelo submergível chinês Jiaolong, que atingiu a profundidade de 6671 metros na Fossa das Marianas, nas Filipinas.



Resumo da Semana
Frases