Desmontar a mentira para combater<br> a alienação e dinamizar a luta

Repetir evidências passou a ser uma necessidade no combate à alienação das grandes maiorias, confundidas e manipuladas pelos responsáveis da crise de civilização que atinge a humanidade.

Talvez nunca antes a insistência em iluminar o óbvio oculto tenha sido tão importante e urgente porque a falsificação da História e a manipulação das massas empurra a humanidade para o abismo.



A mais importante luta travada no mundo rural durante o fascismo
A Grande Greve do Couço

Em Junho de 1958, aquando das eleições para a Presidência da República e depois de Arlindo Vicente ter promovido a união da sua candidatura à do General Humberto Delgado, tendo em conta a necessidade do reforço das posições democráticas, o povo do Couço, tal como milhares de portugueses, mobilizou-se contra o fascismo, organizado pelo seu Partido de sempre, o PCP.

No dia 23 de Junho, para assinalar os 54 anos das lutas do povo do Couço acontecidas em 1958, o ano da Grande Greve, a Comissão de Freguesia do PCP levou a cabo uma caminhada de memória pelos locais dos grandes acontecimentos dessas heróicas jornadas de luta.



Para baixar os salários e atacar os sindicatos
<i>Banco de Portugal</i> na campanha ideológica da direita

O Banco de Portugal divulgou recentemente um «estudo», depois utilizado pelos media, que procura criar a ideia na opinião pública de que o aumento do desemprego se deve à rigidez dos salários, na linha do comunicado da troika divulgado após a 4.ª avaliação de Junho de 2012, que afirma que a subida do desemprego em Portugal «foi exacerbada pela antiga rigidez do mercado laboral português».
A «cassete» habitual do FMI e dos seus defensores quando recusam a realidade.