Breves
Perspectivas negativas na banca alemã

A agência de notação Moody's baixou, dia 25, as perspectivas de 17 bancos alemães de «estáveis» para «negativas», dias depois de ter feito o mesmo em relação ao Estado alemão e ao Fundo Europeu de Estabilização Financeira.

As instituições visadas são as que dependem do apoio do Estado germânico, igualmente alvo de uma avaliação negativa, devido ao «fardo» que as ajudas aos países da zona euro em dificuldades representam para a economia alemã.

A agência admite assim retirar a classificação de triplo A à maior economia europeia, decisão que poderá afectar também a Holanda e o Luxemburgo.


UE recusa «listar» Hezbollah

A União Europeia (UE) rejeitou, dia 24, um pedido do chefe da diplomacia israelita, Avigdor Lieberman, para colocar o partido libanês Hezbollah na lista negra de organizações terroristas.

«Não existe consenso para colocar o Hezbollah na lista de organizações terroristas», declarou a ministra dos Negócios Estrangeiros cipriota, Erato Kozakou-Marcoullis, cujo país ocupa a presidência semestral da UE.

A ministra precisou que a UE poderá adicionar o Hezbollah à lista de organizações terroristas apenas se surgirem provas tangíveis de envolvimento em actos terroristas.

O pedido de Israel foi feito na sequência do recente atentado na Bulgária que vitimou cinco turistas israelitas e o condutor búlgaro do autocarro em que seguiam.


Banqueiro detido na Irlanda

A polícia irlandesa deteve, dia 24, o antigo presidente do Anglo-Irish Bank, no âmbito da investigação que decorre há três anos sobre actos fraudulento no seio da instituição bancária falida e nacionalizada em 2009.

Esta foi já a terceira detenção de Sean Fitzpatrick, de 64 anos, desde o início do inquérito. O salvamento do Anglo-Irish Bank, que chegou a ser o terceiro maior banco do país, agora rebaptizado de Irish Bank Resolution Corporation, após a sua fusão com o Irish Nationwide Building Society, consumiu 29,3 mil milhões de euros de fundos públicos.