Breves
Poder local

Uma conferência sobre os impactos das políticas neoliberais no poder local é promovida hoje, no auditório do Metropolitano de Lisboa, no Alto dos Moinhos, pelo STAL. Com intervenções de Arménio Carlos, Secretário-geral da CGTP-IN, de António Avelãs Nunes, professor universitário, e de Demétrio Alves e Abílio Fernandes, na qualidade de antigos eleitos autárquicos, e com debate aberto ao público, serão abordados os efeitos da política das últimas décadas, ao nível dos direitos dos trabalhadores, do acesso aos serviços públicos e sua qualidade, e da acção geral do poder local democrático.


Viana

No dia 1 de Outubro, os trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo vão realizar uma marcha pelas ruas da cidade, contra a privatização da empresa. A decisão foi tomada no dia 12, num plenário, onde também foi decidido enviar uma delegação ao Parlamento, para ver, na próxima quarta-feira, dia 26, o comportamento dos deputados eleitos pelo distrito na apreciação parlamentar do decreto-lei da privatização, requerida pelo PCP.


Reformados

Com mais de quatro mil assinaturas, a petição promovida pela Inter-Reformados, contra as injustiças, o roubo dos subsídios e o crescente empobrecimento, iria ser entregue ontem, na AR. Para assinalar o acto, a organização autónoma da CGTP-IN convocou para junto do Palácio de S. Bento uma iniciativa a que deu o nome de «Os reformados não querem ser os bombos da festa».


MEC perde

A Procuradoria-Geral da República informou a Fenprof de que partilha a tese, já constante numa recomendação da Provedoria de Justiça e confirmada 47 vezes em tribunal, sobre o pagamento da compensação por caducidade dos contratos aos professores que ficam sem emprego. A federação decidiu levar o problema à ministra da Justiça e ao presidente do Supremo Tribunal Administrativo, para procurar a adequada solução, num momento em que milhares de docentes ficaram desempregados.


Um traz dez

Numa assembleia com mais de cento e cinquenta dirigentes e delegados sindicais e membros de comissões de trabalhadores de diversas empresas do âmbito do SITE Norte, da Fiequimetal/CGTP-IN realizada dia 13, no Porto, foi definido como objectivo, para a manifestação nacional de dia 29, a mobilização de 1500 trabalhadores.


Madeira

Mais de 1500 trabalhadores da hotelaria subscreveram o abaixo-assinado contra as alterações ao contrato coletivo de trabalho, que foi entregue segunda-feira na Associação Comercial e Industrial do Funchal. No documento, refere a agência Lusa, os trabalhadores recordam que, desde há muito, o que regulamenta a actividade é o que está contemplado no CCT do sector, negociado livremente entre as associações patronais e sindicais, pelo que não aceitam que, por causa das mudanças no Código do Trabalho, os patrões queiram mexer no pagamento dos feriados e do trabalho suplementar e eliminar três dias de férias.

Adolfo Freitas, dirigente da CGTP-IN e do Sindicato dos Trabalhadores na Hotelaria, Turismo, Alimentação, Serviços e Similares da Madeira, explicou que as pretendidas alterações ao CCT provocaram perdas salariais de, em média, 500 euros por ano.


Cacia

Contra qualquer redução do valor do trabalho suplementar e pelo cumprimento do contrato colectivo de trabalho, o pessoal da Renault Cacia foi, no dia 5, após um plenário, entregar uma moção à administração, exigindo que esta reconsidere a sua intenção. O SITE Centro-Norte lembrou que o trabalho extraordinário sempre ali foi pago pelos valores previstos no CCT do sector automóvel, facto que nunca impediu a empresa de ser competitiva e obter lucros elevados todos os anos.


Polícia

Para dia 26, a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia agendou uma reunião da sua direcção nacional, a fim de avaliar a resposta da ASPP/PSP ao plano de «austeridade» anunciado pelo Governo para 2013 e às questões sectoriais que se arrastam sem solução.