Reino Unido corta nas refeições escolares

Os cortes orçamentais que têm atingido as escolas britânicas do primeiro ciclo estão a provocar o encerramento acelerado dos refeitórios, penalizando milhares de crianças de famílias com poucos recursos.

O alerta foi dado pela deputada trabalhista, Sharon Hodgson, que requereu informações sobre o assunto a 128 municípios. Destes, quase metade (40%) relataram uma diminuição dos refeitórios infantis (breakfast clubs) nos estabelecimentos primários de ensino. Nalguns casos, os números são alarmantes.

Segundo a deputada, citada pelo Guardian (15.09), o condado de Essex (perto de Londres), por exemplo, dispunha no ano passado de 219 refeitórios nas suas escolas básicas. Actualmente apenas 169 fornecem refeições.

No condado de Surrey, igualmente situado nas proximidades da capital britânica, em 2011 foram servidas 2870 refeições a crianças nas escolas, número que caiu este ano para apenas 1200.

A deputada salienta que os refeitórios escolares constituem para muitas crianças a única oportunidade de ingerirem uma refeição de qualidade durante o dia, lembrando que uma criança com fome dificilmente consegue concentrar-se nas aulas.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: