Aconteu
Salários baixam em termos absolutos

Apesar de se verificar uma diminuição dos salários reais no nosso País pelo menos desde 1998, este ano é a primeira vez que se assistirá a uma redução absoluta dos salários nominais.

A conclusão consta de um estudo da Mercer, divulgado na segunda-feira, 24, pela agência Lusa, o qual afirma ainda que esta tendência deverá manter-se em 2013.

«Verifica-se um número excepcionalmente elevado de empresas (26 por cento da amostra analisada) a congelarem os incrementos salariais como medida de redução do peso da massa salarial na estrutura de custos. Por outro lado, e devido ao efeito de novas entradas de colaboradores a níveis salariais mais baixos, verifica-se uma ocorrência rara: uma diminuição em termos absolutos dos níveis salariais agregados de muitas funções e níveis funcionais», explicou Tiago Borges, responsável pela área de estudos de mercado da consultora em Portugal.

O inquérito indica ainda que houve uma redução real dos salários «em praticamente todos os grupos funcionais», mas as funções com menores níveis de qualificação sofreram a maior quebra.

No caso dos directores-gerais e dos administradores, a redução salarial foi de 0,37 por cento, enquanto nos cargos administrativos e nos operários a redução atingiu os 1,27 e os 1,18 por cento, respectivamente.


Despedimentos colectivos aumentam 74 por cento

Image 11575

O número de empresas que concluíram processos de despedimento colectivo até Agosto aumentou 74 por cento face a igual período de 2011, eliminando 5843 empregos.

De acordo com dados da Direcção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT),revelados na segunda-feira, 24, o recurso ao despedimento colectivo é uma tendência que se vem acentuando desde o início do ano.

Até Agosto 627 empresas utilizaram este mecanismo, quase igualando o total de processos concluídos durante todo o ano de 2011 (641 empresas).

A esmagadora maioria dos despedimentos colectivos verificou-se nas micro e pequenas empresas, que concluíram 496 processos (79% do total), privando de emprego mais de três mil pessoas.

As regiões Norte e de Lisboa e Vale do Tejo foram as mais atingidas, com 262 processos e 2467 despedidos, na primeira, e 256 processos e 2590 despedidos, na segunda. Estes números deverão agravar-se até final do ano

 


Natalidade sofre decréscimo brutal

Image 11576

Nos primeiros oito meses do ano nasceram em Portugal apenas 59 603 crianças, o que representa uma quebra de 5235 nascimentos em relação a igual período do ano passado.

Para Laura Vilarinho, responsável da Unidade de Rastreio Neonatal do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, trata-se de uma descida «brutal», que acentua a diminuição de nascimentos observada nos últimos anos.

Já em 2011, o número de nascimentos ficou abaixo dos 100 mil, totalizando 97 200. A manter-se a tendência actual, dificilmente os nascimentos irão muito além dos 90 mil até final do ano, consideram os responsáveis pelo rastreio neonatal.


Área ardida duplicou

Image 11577

A área ardida este ano mais do que duplicou em relação ao mesmo período de 2011, tendo os incêndios florestais consumido, até 15 de Setembro, 98 698 hectares.

Segundo dados provisórios divulgados, dia 21, pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, entre 1 de Janeiro e 15 de Setembro, foram registados 19 571 incêndios, ou seja, quase mais um quarto, tendo a área ardida aumentado 130 por cento. No período homólogo de 2011 houve 15 730 fogos e 42 756 hectares de área ardida.

O distrito de Faro foi o mais flagelado pelas chamas que devoraram 22 181 hectares, 97 por cento dos quais resultaram do incêndio de Tavira.


Casais no desemprego

O número de casais em que ambos os cônjuges estão registados como desempregados foi, no final de Agosto de 2012, de 9438, o que representa um agravamento de 102 por cento (mais 4765 casais) em relação ao mesmo mês de 2011.

Como indica o Instituto do Emprego e Formação Profissional, trata-se de um recorde, que tem vindo a ser sucessivamente quebrado de mês para mês. Só em Agosto, 631 novos casais ficaram inscritos no IEFP, um aumento de 7,2 por cento em relação ao mês anterior.

Entretanto, dados dos centros de emprego do Continente, publicados na semana anterior, igualmente relativos a Agosto, indicavam que, das 641 218 pessoas inscritas, 18 876 haviam declarado que o seu cônjuge também estava inscrito como desempregado.



Resumo da Semana
Frases