Aconteu
Novas regras excluem milhares do RSI

Image 11957

Cerca de quatro mil pessoas perderam, em Setembro, o direito ao Rendimento Social de Inserção (RSI), em consequência da alteração das regras de atribuição, que entraram em vigor em Julho.

Desde então milhares de beneficiários foram excluídos destes apoios sociais, reduzindo-se o seu número para perto de 291 mil, segundo dados da Segurança Social.

Em Janeiro último havia 318 616 pessoas que recebia o RSI, tendo-se observado uma subida constante na atribuição destes subsídios até Junho. Em Julho, a tendência inverteu-se drasticamente, a ponto de em Setembro já se observar uma diminuição de nove por cento em relação ao início do ano.

As razões são conhecidas. As novas regras obrigam à assinatura de um contrato anual, com obrigações que envolvem todos os membros do agregado familiar beneficiário.

O contrato tem uma duração de 12 meses, período findo o qual será necessário apresentar novo requerimento e toda a documentação exigida. Além disso, os beneficiários são obrigados a exercer uma «actividade socialmente útil» que pode ocupar até 15 horas semanais, em três dias úteis.


Cinema português no Festival Caminhos

Image 11958

A XIX edição do festival «Caminhos do Cinema Português» decorreu de 9 a 17 Novembro, em Coimbra, nos espaços do Teatro Académico Gil Vicente e do Centro Cultural D. Dinistendo.

Para além da exibição fílmica, que teve como principal objectivo a divulgação do cinema português mostrando toda a produção do último ano, o festival incluiu várias actividades paralelas como o Geocaminhos, que deu a conhecer aos participantes o cinema português e a cidade de Coimbra, o concurso de argumentos «Coimbra Filma-se» e o concurso de curtas-metragens «Um Encanto Num Minuto».

No campo da formação em cinema, teve lugar a segunda edição do Cinemalogia 2, cujo programa visou habilitar os formandos a produzirem uma curta-metragem.

A entrega dos prémios aos vencedores da Secção Competitiva decorreu no sábado, 17, durante a cerimónia de encerramento do certame.


A XIX edição do festival «Caminhos do Cinema Português» decorreu de 9 a 17 Novembro, em Coimbra, nos espaços do Teatro Académico Gil Vicente e do Centro Cultural D. Dinistendo.

Para além da exibição fílmica, que teve como principal objectivo a divulgação do cinema português mostrando toda a produção do último ano, o festival incluiu várias actividades paralelas como o Geocaminhos, que deu a conhecer aos participantes o cinema português e a cidade de Coimbra, o concurso de argumentos «Coimbra Filma-se» e o concurso de curtas-metragens «Um Encanto Num Minuto».

No campo da formação em cinema, teve lugar a segunda edição do Cinemalogia 2, cujo programa visou habilitar os formandos a produzirem uma curta-metragem.

A entrega dos prémios aos vencedores da Secção Competitiva decorreu no sábado, 17, durante a cerimónia de encerramento do certame.


Maioria dos desempregados sem protecção social

Mais de 86 por cento dos 40 milhões de trabalhadores que perderem os seus empregos em todo o mundo desde 2008 estão privados de qualquer rendimento regular, revelou, dia 14, em Genebra, a Organização Mundial do Trabalho.

Esta situação, segundo explicou a especialista em protecção social da OIT, Florence Bonnet, deve-se ao facto de, por um lado, existirem sistemas de protecção no desemprego em apenas em 78 países num total de 198. Isto faz com que, à partida, mais de 70 por cento dos trabalhadores em todo o mundo não tenham acesso a apoios no desemprego.

Por outro lado, este universo alarga-se dado que muitos desempregados não têm o tempo mínimo de contribuições para acederem a uma prestação social, circunstância que afecta em particular os jovens trabalhadores, despedidos pouco tempo depois de entrarem no mercado de trabalho.

A cobertura da protecção no desemprego varia entre os 80 por cento em países da Europa e EUA até aos 10 por cento em África. Na América Latina e Caraíbas é inferior a 40 por cento, ficando-se pelos 20 por cento no Médio Oriente e na Ásia.


Produção industrial afunda-se

Portugal registou a segunda maior descida da produção industrial na UE, caindo 12 por cento em Setembro, em comparação com o mês anterior.

De acordo com dados do Eurostat divulgados dia 14, na Zona Euro, este índice caiu 2,5 por cento, contra 2,3 por cento no conjunto dos 27 estados-membros.

As maiores quedas foram registadas na Irlanda (-12,6%), em Portugal (-12%) e na Grécia (-4,4%), enquanto os maiores crescimentos foram observados na Estónia (2%) e na Eslováquia (1,4%).

Comparando com Setembro de 2011, a produção industrial recuou 2,3 por cento nos 17 países do euro e 2,7 pro cento na União a 27.

Neste período Portugal registou a segunda maior quebra (-8,8%), apenas superada pela Irlanda (-12,8), enquanto na Eslováquia (13%) e na Estónia (8,3%) tiveram os maiores crescimentos.


China investe na Europa

Os investimentos chineses na Europa ultrapassaram pela primeira vez os europeus na China. Segundo um estudo da consultora PwC, publicado na segunda-feira, 19, os investimentos chineses na Europa cifraram-se em 11 mil milhões de euros contra os sete mil milhões de euros que as empresas europeias investiram na China.

Esta tendência foi observada no primeiro semestre deste ano, quando empresas chinesas fizeram 32 investimentos na Europa, contra 26 operações na China por empresas europeias. Um dos maiores negócios chineses no velho continente foi a compra da EDP pela China Three Gorges, em 2011.



Resumo da Semana
Frases