- Edição Nº2047  -  21-2-2013

Trabalhadores na rua

O executivo municipal da Câmara de Sintra aprovou, quarta-feira, com os votos contra do PCP e do PS, uma proposta que prevê a extinção de três empresas municipais e o contrato de cedência dos Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento (SMAS) de Sintra. A reunião foi interrompida, por várias vezes, por centenas de trabalhadores que ali se manifestaram em defesa dos seus postos de trabalho.

Para CDU de Sintra – que hoje se vai reunir com Fernando Seara, presidente da autarquia –, esta proposta «mais não é do que a extinção de todas as empresas municipais do concelho e a sua substituição por uma nova entidade, a qual ficaria responsável pela gestão de todo o sector empresarial local, da recolha de lixo à água e saneamento, da gestão de equipamentos culturais ao fornecimento de refeições escolares e transporte de crianças».

Em Loures, os trabalhadores dos SMAS desfilaram pelas ruas da cidade em protesto contra a intenção da Câmara de Odivelas de privatizar o serviço de água e de resíduos sólidos.

Esta acção de protesto insere-se num conjunto de concentrações, plenários, distribuição de comunicados, contactos com os trabalhadores e reuniões com autarquias, promovido pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), que anteontem decorreu em todo o País, nomeadamente em Aveiro, Beja, Braga, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém.