URAP exige eleições

No dia 2 de Março, a Assembleia-Geral da União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP), reunida na Biblioteca Museu e Resistência, em Lisboa, aprovou por unanimidade uma resolução onde se dá conta de que «a actual política do actual Governo mergulhou o País numa grave crise financeira, económica, política e social».

No documento, a URAP refere ainda que o Executivo PSD/CDS «não só não conseguiu cumprir nenhum dos objectivos a que se propôs como, ao invés, agravou todos os índices macroeconómicos geradores dessa mesma política», que «as medidas de autoritarismo impostas por esse Governo degradam fortemente a vida dos cidadãos, minaram a sua confiança, deterioraram o Estado social e estão a pôr em causa as próprias instituições democráticas, tal como as conhecemos» e que «o Governo tem demonstrado uma inaceitável submissão aos interesses do grande capital financeiro e um visível desprezo pelos interesses nacionais».

Face a esta situação, os membros da URAP solicitam ao Presidente da República e à Assembleia da República «a dissolução do Parlamento e a convocação de eleições de forma a devolver a palavra aos cidadãos».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: