Grande almoço no Seixal

Image 12717

Mais de 800 pessoas encheram por completo o Pavilhão da Casa do Pessoal da Siderurgia Nacional, no Seixal, para o almoço comemorativo dos 92 anos do Partido Comunista Português realizado no domingo. Intervieram Mariana Margarida, da JCP, Joaquim Santos, da Comissão Concelhia do Seixal e cabeça de lista da CDU à Câmara Municipal, e o Secretário-geral do PCP.

Para além das questões da actualidade política, Jerónimo de Sousa salientou que o Partido tem uma «história ímpar de luta ao serviço dos trabalhadores, do povo e do País» bem como um percurso marcado pela «coragem e dedicação sem limites à causa emancipadora da classe operária e dos trabalhadores, do nosso povo, à causa do socialismo e do comunismo». E valorizou o facto de o PCP, desde a sua criação, ter sido sempre capaz, «com os trabalhadores, com o povo e a sua luta, de ultrapassar os mais sérios obstáculos, as mais perigosas conjunturas, os mais sérios desafios».

Hoje, acrescentou Jerónimo de Sousa, o Partido reafirma-se como uma «força viva, actuante, combativa, ligada à vida, capaz de ombrear com as mais exigentes tarefas e desafios». Sublinhando a importância do XIX Congresso, realizado no final de 2012, o Secretário-geral valorizou o conteúdo do Programa do Partido, Democracia Avançada – os Valores de Abril no futuro de Portugal, que «assim se chama porque é na afirmação de tais valores que se projecta a sociedade que propomos ao nosso povo construir e no qual se define um regime assente numa democracia simultaneamente política, económica, social e cultural».

Jerónimo de Sousa lembrou ainda o papel determinante, para a construção e defesa do PCP, desempenhado por Álvaro Cunhal, cuja vida, pensamento e luta «dá força ao prosseguimento do combate que foi o dele, e é hoje nosso, em demanda da concretização do ideal e projecto comunistas». 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: