Pensões agravadas<br>com OE 2013

No Orçamento do Estado para o corrente ano, estão incluídas medidas que colocam largos milhares de pensionistas e reformados perante maiores dificuldades. Além de manter congelado o valor nominal das pensões, o OE 2013 sujeita esse valor ao aumento do IRS, para quem receba mais de 595 euros, e impõe uma sobretaxa de 3,5 por cento, a quem ganha acima de 485 euros.
Esta situação levou a Inter-Reformados a realizar, no dia 6, em Setúbal, um «cordão humano» desde a delegação regional da Segurança Social até ao Largo da Misericórdia. A estrutura autónoma da CGTP-IN no distrito exigiu o aumento das pensões, bem como a reposição dos descontos nos passes sociais para idosos e estudantes, com rejeição do programa de agressão e da política de direita – como se refere na informação divulgada pela União dos Sindicatos de Setúbal.

Roubo escondido 

Desde o final de Fevereiro, a Inter-Reformados disponibiliza no sítio da CGTP-IN um modelo de requerimento, para que cada um possa exigir ao Centro Nacional de Pensões informação detalhada sobre os valores recebidos nos primeiros dois meses deste ano. A medida foi tomada depois de vários associados se terem queixado de apenas lhes serem revelados os valores totais, através dos registos bancários, e não o detalhe das diversas parcelas.
Escamoteando esta informação e diluindo o subsídio de férias em duodécimos, o Governo pode julgar que «disfarça o impacto deste crime fiscal sobre os orçamentos anuais da esmagadora dos nossos reformados», mas não vai contar, para isso, com a passividade dos reformados e de quem, consistentemente, os representa e defende os seus interesses, garante a Inter-Reformados.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: