“Mas se o Governo é este cadáver esquisito, o que impede o PS de o enterrar de vez?”

(Luciano Amaral,
 Correio da Manhã, 17.5.13)


“Ele próprio [o PS] é um cadáver esquisito, que está e não está na oposição, e não sabe o que fazer.”

(Idem, ibidem)

 “É excessivo começar com a leitura e o estudo da nossa Constituição. Tendo uma carga ideológica forte (...) os alunos [do 3.º ciclo e secundário] devem começar com uma aproximação ao estudo dos princípios constitucionais.”

(Fernando Negrão,
TSF, 16.5.13)


“ A Constituição Portuguesa é um elemento fundamental da educação cívica do povo.”

(Barbosa de Melo,
Diário de Notícias, 17.5.13)

“Um Estado como o nosso não exerce influência na UE batendo o pé, nem impondo um poder que não tem.”

(Miguel Poiares Maduro,
Expresso, 18.5.13)

“O Governo está a mexer com a base de qualquer sistema democrático e do Estado de direito.”

(Bagão Félix,
Diário Económico, 20.5.13)

“O grande factor de restrição na Segurança Social não são as pensões, é o desemprego.”

(Idem, ibidem)

“Os sacrifícios não abrangem a população toda, só os funcionários e os pensionistas.”

(Idem, ibidem)

“Parece ter-se instalado o consenso sobre Cavaco Silva: todos o tratam como tratariam o idiota da aldeia.”

(Vítor Malheiros,
Público, 21.5.13)

“Que não seja possível substituir um presidente que deixou de cumprir os seus deveres nem um Governo que quebrou todas as promessas e que vende o país a quem paga mais são duas das desgraças do actual regime político, que vai ser preciso reparar mal seja possível.”


(Idem, ibidem)