Escutas no G20

Duas reuniões do G20 realizadas na Grã-Bretanha, em Abril e Setembro de 2009, foram aproveitadas pelos norte-americanos para espiar o presidente russo Dmitri Medvedev e pelos britânicos para vigiar os turcos e os sul-africanos.

As revelações do antigo funcionário da CIA Edward Snowden, divulgadas pelo jornal The Guardian, causaram escândalo em Pretória, Moscovo e Ancara. As autoridades turcas solicitaram explicações «oficiais e satisfatórias», a Rússia manifestou a sua «inquietação», enquanto a África do Sul exigiu um inquérito e a tomada de medidas contra os autores dos actos relatados.

A intercepção de comunicações durante o encontro internacional foi realizada pelo centro de escutas dos serviços secretos britânicos (Government Communications Headquarters – GCHQ) que é parceiro nestas lides da norte-americana National Security Agency.

Uma equipa de 45 funcionários acedeu aos computadores e telefones dos participantes nas duas cimeiras. 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: