Os trabalhadores têm motivos para a greve geral.”

(João Machado, presidente da CAP,
TSF, 26.6.13)

 

A greve é expressão de descontentamento. É um direito que respeitamos.”

(António Saraiva, presidente da CIP,
Diário de Notícias, 27.6.13)

 

Temos alertado o Governo que esta política de recessão, com encerramento de empresas e subida do desemprego, está a fazer aumentar o risco das tensões sociais serem cada vez maiores.”

(João Vieira Lopes, presidente da CCP,
ibidem)

 

Na actual conjuntura bem se percebe que exista na população um descontentamento generalizado.”

(Francisco Calheiros, presidente da CTP,
ibidem)

 

Salários vão cair por mais dois anos.”

(Título do Correio da Manhã, 27.6.13)

 

Tal como os gregos, também os portugueses se sentem cobaias de um ensaio clínico que correu muito mal. A austeridade lembra a talidomida: um fármaco alemão que surgiu como a cura para muitos males e acabou por "cortar" as pernas a uma geração.”

(Luís Goes Pinheiro,
Diário Económico, 27.6.13)

 

Mais de cinco mil médicos e enfermeiros fogem de Portugal.”

(Manchete do diário de Notícias, 1.7.13)

 

A minha saída é agora, permito-me repetir, inadiável.”

(Vítor Gaspar, na carta de demissão enviada
ao primeiro-ministro, 1.7.13)

 

Mais importante do que as pessoas são as políticas e, nesse sentido, aquilo que desejo – que espero – é que a saída do ministro Vítor Gaspar seja uma oportunidade para que o Governo mude de políticas e concilie finalmente austeridade e crescimento económico.”

(António Saraiva,
Lusa, 1.7.13)

 

[a saída de Vítor Gaspar do Governo] É uma desgraça. É muito mau para o país.”

(Miguel Beleza,
SIC, 1.7.13)

 

É reconfortante saber que Portugal vai manter o caminho e que Maria Luís Albuquerque irá continuar o bom trabalho feito até agora.”

(Wolfgang Schaüble, ministro das Finanças alemão,
Lusa, 1.7.13)

 

A aceitação do off-the-record em declarações de um governante (...) aumenta a opacidade da política, reduz a liberdade de imprensa e abre a porta ao tráfico de influências.”

(José Vítor Malheiro,
Público, 2.7.13)