Aconteu
Vendas caem em Portugal

As vendas do comércio a retalho recuaram 3,6 por cento, em Maio, no nosso País, face ao mesmo mês de 2012, segundo dados do Eurostat, divulgados dia 3.

O gabinete de estatística europeu refere que a queda em Portugal foi a terceira maior na União Europeia (UE), onde se verificou um ligeiro aumento médio de 0,5 por cento. Na zona euro a queda homóloga foi de 0,1 por cento.

A queda das vendas em Portugal apenas foi superada por Espanha (-6,3%) e pela Roménia (-4,4%), enquanto os maiores aumentos relativos pertenceram à Letónia (8%), à Lituânia (5,8%) e à Estónia (5,1%).

Já em Abril, as vendas no comércio nacional tinham descido dois por cento, não se registando subidas homólogas desde Dezembro de 2012.

A mesma tendência verificou-se na venda de combustíveis que, apesar de um ligeiro aumento em Abril em relação ao mês anterior, acumulam uma queda de 8,8 por cento face ao mesmo mês de 2012.

Em queda desde Dezembro de 2010, quando foram vendidas 6,306 milhões de toneladas, o consumo de GPL, gasolinas e gasóleo está hoje reduzido a 5,233 milhões de toneladas.


Marcha pelos direitos cívicos foi há 50 anos

Uma exposição inaugurada na capital dos Estados Unidos sobre a vida de Martin Luther King deu início às celebrações que decorrem este Verão do 50.º aniversário da «Marcha sobre Washington» pelos direitos cívicos dos negros norte-americanos.

Com a exposição «Uma vida, Martin Luther King Jr», a National Portrait Gallery recorda que o militante dos direitos dos negros assassinado em 1968 «não era apenas um sonhador, mas era também um homem de acção», segundo declarou, dia 3, a comissária da exposição, Ann Shumard.

Prémio Nobel da Paz, Martin Luther King ficou célebre com o seu discurso «I have a dream», em que defendeu o fim da discriminação racial nos Estados Unidos.

A «Marcha sobre Washington» realizou-se em 28 de Agosto de 1963, tendo juntado cerca de 250 mil pessoas. Para assinalar a data estão previstas conferências, o lançamento de um selo e uma marcha em Washington «pelo emprego e pela justiça». A exposição sobre o líder assassinado estará patente até Junho de 2014.


A Crise do Capitalismo por Avelãs Nunes

A 5.ª edição, revista e aumentada, da obra de António Avelãs Nunes, «A Crise do Capitalismo: Capitalismo, Neoliberalismo, Globalização», foi apresentada anteontem, terça-feira, na sede da Associação 25 de Abril, numa sessão que contou com a presença do autor e a apresentação de Martins Guerreiro.

Editado pela Página a Página, este livro do professor jubilado da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e membro da Comissão Científica do Centro de Estudos Ibéricos é uma profunda reflexão sobre a crise estrutural do capitalismo e a necessidade de superar um sistema, cuja natureza de classe é hoje evidenciada por políticas que acentuam as desigualdades e lançam milhões no desemprego e na pobreza.


Ana Biscaia vence Prémio de Ilustração

A Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) atribuiu por unanimidade a Ana Biscaia o Prémio Nacional de Ilustração pelo seu trabalho no livro «A cadeira que queria ser sofá», com texto de Clovis Levi.

A propósito desta obra, o júri salienta que «o texto assume-se como ilustração, produzindo, em certas páginas, um corpo plasticamente orgânico e coerente». «As qualidades pictóricas desta obra utilizam o livro, enquanto objecto e formato, transgredindo os alinhamentos habitualmente impostos pela composição e paginação gráfica e tipográfica».

Em comunicado divulgado dia 4, a DGLAB refere ainda que concorreram a esta 17.ª edição do Prémio 78 obras, publicadas no ano passado por 45 editoras, da autoria de 63 ilustradores e textos de 66 autores.


Poemas de Duarte Mangas

«A Fome Apátrida da Aves» é o título do novo livro de poemas de Francisco Duarte Mangas, escritor e jornalista, autor de mais de duas dezenas de obras nos domínios da ficção, poesia e literatura infanto-juvenil.

O seu primeiro livro, «Diário de Link» foi distinguido com o Prémio Carlos de Oliveira, por decisão unânime do júri constituído por José Saramago, Nuno Júdice e Francisco Belard.

O seu novo livro de poemas, que é editado pela Modo de Ler e conta com o prefácio de Manuel Gusmão, foi apresentado, dia 27 de Junho, no Porto, por José Manuel Mendes, presidente da Associação Portuguesa de Escritores e teve a participação do actor António Durães que leu alguns poemas.



Resumo da Semana
Frases